sábado, 31 de janeiro de 2009

Vocação vem de berço

Que o diga os pais desse garotinho do vídeo.
 
 

Maze Frenzy

Limpe seu mouse pad, a base do seu mouse e faça um pouco de alongamento na munheca da mão que você usa para manipular o mouse, pois certamente estas coisas são requisitos para vencer o desafio de Maze Frenzy, o jogo que o Mural traz hoje.
 
Maze Frenzy
 
Tendo clicado sobre o pontinho vermelho lá no Start (início), você passa a ter controle sobre ele e é desafiado a fazê-lo passar pelo maze (labirinto) estranho mostrado na figura acima de forma a alcançar o Finish (Fim). Mas há um porém! Você não pode deixar o ponto tocar nas paredes! Se tocar, volta pro começo do jogo. Quando você chegar ao site do jogo verá que o labirinto tem partes móveis!
 
Caso não goste da musiquinha do jogo, clique sobre o símbolo do microfone lá no canto superior esquerdo. Caso também não queira ver o aviso "Ooops!" toda vez que tocar nas paredes, desmarque a caixinha "oops" que tá ali perto do cronômetro (Time).
 
A página do Maze Frenzy tem um ranking que não sei exatamente como funciona. Acho que relaciona os jogadores que conseguiram atravessar o labirinto em menos tempo e com menos tentativas. Bem, saberei saberemos quando conseguirmos vencer o desafio.
 
Vencido o desafio, e querendo mais, que tal Maze Frenzy 2, hum? Clica aí no link que tá no nome do jogo ou, na página da primeira versão, vá até ao rodapé e procure a frase "Click here for a 2nd version of this game that is more difficult". O MF 2 é bem mais difícil, viu?!!
 
Boa diversão!

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

O caminho da fama

Ryot IRAS_fernando


Clique sobre a imagem para vê-la em tamanho maior.
.
Fonte: Ricardo Tokumoto em Ryot IRAS

Acappella - Puras vozes... puro evangelho


Puras vozes... puro evangelho, THE ACAPPELLA COMPANY artistas estão preocupados com a propagação do evangelho de Jesus Cristo através da música a capela (puramente vocais - sem instrumentação utilizada, onde todos os sons são produzidos vocalmente ou anatomicamente.) e moralizante de quem os ouve.

Domínio vocal, técnica, arranjos espetaculares e muita criatividade é pouco para descrevermos todas as qualidades deste grupo fantástico. Este é o Som do Mural desta semana!! Este é o som do Acappella.

Acappella é um grupo vocal cristão norte-americano, fundado em 1982 por Keith Lancaster. Keith é membro da Church of Christ, igreja que geralmente não usa intrumentos musicais. Keith acabou por criar um grupo, inicialmente chamado de His Image. Depois de alguns anos, o grupo passou a se chamar Acappella, nome que mantém até hoje.

O Acappella já teve diferentes formações. Foi uma dupla, trio, quarteto, e até quinteto, como a formação atual. Na maior parte de sua história, foram apenas quatro integrantes. Na formação inicial, Keith Lancaster era um dos cantores. O parceiro mais frequente de Keith era Rodney Britt, que cantava barítono e baixo.

Em 1988, houve uma grande mudança no Acappella, Keith deixa de cantar no grupo, e convida Gary Moyers, George Pendergrass e Wayburn Dean para se juntarem a Rodney Britt, na formação que gravou o álbum Sweet Fellowship.

Ouçam um pouco destas vozes abençoadas: Acappella no Brasil ao vivo na TV, Lift Every Voice e Abba Father.



Site oficial: http://www.acappella.org/

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Um estilo de vida pronto para a guerra

A Bíblia é absurdamente clara ao dizer que "os que querem ficar ricos caem em tentação, e cilada, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e perdição" (1 Tm 6.18,19). Entretanto, cada vez mais os que professam ser cristãos correm atrás daquilo que Deus proíbe: luxo, conforto, riquezas perecíveis... Como usar o nosso dinheiro de forma que honre a Deus? Para que serve o dinheiro? Como devemos usá-lo?

"Um estilo de vida pronto para a guerra". Neste vídeo esclarecedor o pastor John Piper responde às questões acima. Ele conclama a todos os cristãos a não se iludirem com as riquezas deste mundo, mas a buscarem a Riqueza Verdadeira, que nunca perecerá.



http://br.youtube.com/watch?v=bxhMUa0Scb0
Atenção! Para ativar a legenda (caso não apareça automaticamente): clique no botão "seta para cima" no canto inferior direito do vídeo player.
Caso queira baixar o vídeo (em formato .avi) e a legenda:

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Para Jesus telhados que caem são apenas telhados que caem

Lendo sobre as matérias do desabamento do teto da Renascer, encontrei um artigo do Caio Fábio de uma coerência incrível e uma reflexão para aqueles que estavam fora do templo.
.
.
"TRAGÉDIA e ACIDENTE: gente ficou ferida e outros morreram!
.
Uma tragédia acontecera. Pilatos misturara o sangue de alguns Galileus com o sangue dos sacrifícios que eles ofereciam em seu culto fora de lugar, fora do Templo de Jerusalém.
Outra tragédia aconteceu logo depois. A torre do Tanque de Siloé desabou e matou as 18 pessoas que lá estavam.
.
Jesus estava andando pelo país...
.
Então, chegaram as notícias.
.
“O Senhor soube? Soube o que Pilatos fez? Soube o que houve com os crentes na torre que caiu?”
.
Eles queriam um juízo, uma explicação, uma condenação, uma lógica moral. Afinal, esse negócio de tragédia — pensam os crentes —, é coisa para descrente e para crente em pecado; pois, a teologia dos crentes sempre foi a dos “amigos de Jó”: tragédia é o fruto do pecado; e é sempre juízo de Deus contra o pecador.
.
Sim! Desse modo pensam sempre os crentes, exceto quando a casa que cai é a deles!
Mas quando a casa cai e a residência é a do descrente ou a do crente “desviado ou em pecado”, então, está tudo explicado!
.
Jesus, porém, ouviu as insinuações que as “questões” induziam ao pensar, e, sem falar delas, apenas disse:
.
Vocês pensam que os Galileus da tragédia eram mais pecadores do que os demais Galileus que não morreram? Ou que aqueles 18 sobre os quais a torre caiu eram mais pecadores do que os demais habitantes de Jerusalém? Em verdade eu digo a vocês não eram. Mas se vocês não se arrependerem, todos igualmente perecerão”.
.
Para Jesus telhados que caem são apenas telhados que caem; e podem cair sobre a cabeça de qualquer um. Para cair, basta estar no alto, e, para matar, basta que haja gente em baixo.
No entanto, sabendo como os “crentes das noticias de tragédias” são como pessoas, Jesus apenas disse:
.
Não é o modo da morte que conta. É o modo da vida que conta. Se vocês continuarem a viver assim, morrendo, sem Deus, porém cheios de religião, ainda que vocês morram de velhos, todos, todavia, independentemente do modo da morte, perecereis para a eternidade; posto que cuidaram apenas de julgarem os mortos, e não aprenderam a viver a vida dos vivos!
.
Não importa o modo da morte. Importa sim o modo da vida; pois, se não mudarmos de mente, todos, igualmente, veremos não um céu de gesso, como o da Renascer, cair na nossa cabeça, mas veremos os céus mesmo, desabando sobre nós e sobre nossas incuráveis arrogâncias.
.
Oro por todos. Por todos mesmo: os acidentados, os feridos, os enlutados, os aflitos...
.
Oro também para que, não pelo telhado ou pelas mortes, mas pela vida, que os responsáveis espirituais por este povo agora ainda mais perdido e confuso convertam-se à vida que é; e que não é como eles ensinam ao povo que seja; e a prova disso é que os telhados caem e não há ninguém que possa decretar ao contrário.
.
O convite de Jesus não é para que se pondere sobre as tragédias, mas sim sobre a vida que nunca é trágica, mesmo quando as tragédias se abatem sobre ela.
.
Sim! Tal vida não julga a Graça de Deus por dinheiro, prosperidade ou sucesso humano; mas, exclusivamente, pelo testemunho de coerência com o Evangelho, ainda que se esteja morrendo a morte mais louca e insana, como a de João Batista, cuja cabeça foi servida em um prato a fim de que Herodes fizesse a corte de uma jovem que ele desejava ‘comer’ como quem come um pedaço de picanha.
.
Silêncio! O Senhor está no Seu Santo Templo! Cale-se diante Dele toda a Terra!
.
Nele!
.
Caio

Amigos Leais!!

Não gosto de touradas, pois acredito ser algo totalmente estúpido e de uma covardia tremenda para com animais indefesos. Confesso que torço pelo touro, mas o que vi neste vídeo me deixou sem palavras; ver estes três homens deitando-se sobre o companheiro para o proteger da fúria do animal ferido abnegando a própria segurança, para defender o amigo ferido. Homens de um carácter assinalável e de uma lealdade invejável! Uma lição para toda a vida.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Deus, obrigado por Marcelo Camelo e por Renato Russo

Por leone

Como negar a ação de Deus entre os homens? Ao ouvir clássicos da música como One do U2, ou Miss Sarajevo onde Luciano Pavarotti leva qualquer um as lágrimas com sua participação especial, fui tomado por um sentimento que me diz claramente que a mão de Deus está por trás desses momentos luminosos de pessoas extraordinárias que passaram por aqui.

A musicalidade de Renato Russo, a genialidade do guitarrista John Mayer, a forma assombrosa de atuar de Al Pacino e De Niro, tudo isso, segundo a bíblia vem de Deus! Não é assim que diz: “Toda boa dádiva, todo dom perfeito, vem do Pai das luzes…” Não é assim? O demônio não tem parte nisso, ele não tem condições de conceder ao homem nada de bom.

Quisera o mundo Gospel ter em abundância poetas como Marcelo Camelo e Rodrigo Amarante do Los Hermanos, gente com personalidade, não meras cópias do que já vemos por aí. Falta autenticidade, para falar a verdade estamos vivendo uma crise de autenticidade. O que nos resta é contestar o que Deus deu a essa gente que arranca lágrimas de nossos olhos, que nos faz rir em momentos de tristeza, que nos faz pasmar diante de um solo de guitarra ou uma atuação perfeita.

O que tenho a dizer, nesse post raso, porém em tom de desabafo é o seguinte: “Obrigado Deus pelos nomes citados acima e muitos outros que eu esqueci!”

Minha oração é que deixemos a mesquinhez e a dor de cotovelo e comecemos a criar se é que ainda temos essa capacidade.Termino com um trecho de Além do que se vê, do Los Hermanos: “Moça, olha só, o que eu te escrevi, é preciso força pra sonhar e perceber que a estrada vai além do que se vê”

OBS: você já ouviu em alguma das nossas letras GOSPEL algo mais transcendente que isso? Eu não… Deus, obrigado pelo privilégio de ter ouvido esses caras! Aos que acham que isso é do capeta, resta-me dizer: VIVA A GRAÇA COMUM!

Fonte: www.dotgospel.com

Entrevista com William P. Young

Encontrei no blog do Thiago Mendanha uma entrevista com William P. Young, autor do Best-seller A Cabana. Com tradução do blogueiro Volney e legendado pelo próprio Thiago, uma entrevista fantástica que vai deixar aqueles que ainda não leram o livro com mais vontade de lê-lo. Vale a pena assistir.


segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Estranho amor de Deus


Fico constantemente confuso com a estranha forma como Deus escolhe seus amigos.

Deus faz algumas escolhas as quais considero muito engraçadas, ou seja, escolhas que eu não faria necessariamente. Veja, sempre pensei que Deus tinha uma casa enorme na qual as pessoas que o obedeciam poderiam morar, louvar e ter comunhão. Do lado de fora ficariam as que não o obedeciam. Eu, é claro, entraria porque sempre fiz a vontade Dele, ou pelo menos tentava fazer. Achei que minha sinceridade fosse o passe para entrar. Mas eu estava errado.

Deus disse a Moisés em Êxodo 33:19: “Diante de você farei passar toda a minha bondade, e diante de você proclamarei o meu nome: O Senhor. Terei misericórdia de quem eu quiser ter misericórdia e terei compaixão de quem eu quiser ter compaixão.” Em outras palavras, Deus escolherá seus amigos e ponto final.

Isso sempre me incomodou. Sou provavelmente tão religioso quanto alguém que você já conheceu. Talvez até mais. Dou aula de religião em um curso de pós-graduação. Fico em pé diante de milhares de pessoas e falo sobre assuntos religiosos. Escrevo livros religiosos, faço seminários e programas de rádio religiosos. Sou muito religioso.

O que me incomoda é que Deus escolhe amar pessoas que não são religiosas, ou que não são tão religiosas quanto eu. Tenho aprendido que Deus faz, de acordo com o meu julgamento, escolhas estranhas. Ele ama pessoas as quais detesto e tem misericórdia de pessoas das quais eu jamais teria. Ele move seu Espírito para além de instituições religiosas e faz amizade com pessoas de quem eu nunca seria amigo.

Whoopi Goldberg, que diz não acreditar em Deus, não é uma de minhas pessoas preferidas. Mas você assistiu ao filme Mudança de hábito? É sobre uma mulher, cantora de boate, que está fugindo de ladrões que querem matá-la. O que faz desta fuga algo único é o fato de que ela se esconde em um convento católico romano. A cantora então se veste como freira, torna-se a regente do coral e ensina as demais freiras a cantar músicas mais animadas e divertidas do que as que geralmente cantavam no convento.

O que me chama a atenção nesta história é que no início do filme a igreja do convento é velha e cheia de pessoas idosas e muito religiosas. Uma vez que a cantora/freira começa a dirigir o coral, no entanto, pessoas marginalizadas (prostitutas, viciados e outras personagens estranhas) começam a entrar na igreja, lotando-a.

Quando vi esta cena pela primeira vez, comecei a chorar (Quase nunca choro. Sou homem, entende?). Minha esposa estava comigo e seu olhar me dizia claramente: “Pare com isso! Isto é uma comédia. Você não percebe que todos no cinema estão rindo e você está chorando? Vou sentar em outro lugar e fingir que não lhe conheço.”

No entanto, eu não conseguia parar de chorar. Quando o filme acabou, questionei a Deus a respeito da minha reação peculiar e senti que a resposta dele dizia que era a ação de Deus. Ele estava falando comigo naquela cena.

Reclamei dizendo: “Mas Senhor, Whoopi Goldberg? Por que o Senhor não falou comigo através do Billy Graham ou do papa?” Não tive resposta.

Constantemente sonho que estou em casa, enfim, no céu, sentado à mesa do Senhor para a ceia de casamento do Cordeiro. Todo tipo de pessoa está presente. O clero está lá, alguns líderes da igreja e até um ou dois pastores televangelistas. Mas quando olho a minha volta, vejo aqueles que cometeram adultério no passado, vejo mentirosos e ladrões. Existem garotos e garotas de programa, cobradores de impostos e bêbados. Também vejo alguns que já foram homossexuais, viciados em sexo e ex-glutões. E, francamente, fico chocado.

Então, no meu sonho, ouço uma voz vinda do trono e palavras direcionadas a mim. É a voz Deus, que me pergunta: “O que você pensa que está fazendo aqui?”. Acho que ele está brincando comigo, mas não tenho certeza. Geralmente acordo antes de descobrir.

Costumava pensar que o amor de Deus poderia ser logicamente explicado e mensurado. Agora compreendo que o amor de Deus é muito mais profundo do que podemos tentar conceber.

Houve um tempo em que eu tinha certeza de que podia explicar e defender Deus. Descobri, no entanto, que ele está além da explicação e que não precisa de defensores. Ele estava muito bem antes de eu chegar, e ficará muito bem depois que eu for embora. Mas, por alguma razão, este grande, assustador e confuso Deus que escolhe amigos estranhos escolheu me amar. Vejo seu amor em tudo, sem exceção. A questão não é: “Onde está o amor de Deus?”, mas sim “Onde não está o amor de Deus?”.

Steve Brown é professor do Seminário Teológico Reformado em Orlando – Flórida, Estados Unidos, e pode ser ouvido em seu programa de rádio na Key Life (http://www.keylife.org/).

Fonte: http://www.cristianismohoje.com.br/

Não Existe Música Gospel


Há muito tempo penso em escrever este artigo. Hoje resolvi fazê-lo, depois de ler mais um tópico aqui do Dot sobre música gospel x música secular, que, na minha opinião, expressa opiniões completamente equivocadas quanto ao assunto. Sempre quando leio na Internet coisas sobre "Fulano é gospel? Ah não, Sicrano não pode ser gospel... Beltrano tocou não sei aonde.. não é gospel! Olha, as letras (ou a capa do disco, ou o encarte, ou a camiseta, ou o cabelo, ou a tatuagem, ou etc.. do [coloque o nome da banda aqui]... Não pode ser gospel..." Essas coisas me deixam profundamente irritado, e, pra mim, só atestam a ignorância do povo cristão brasileiro, não quanto à música, mas quanto à fé mesmo.

Comecemos pois, então, categoricamente:

Não existe música gospel.

Pensem comigo. O que as pessoas normalmente entendem ser música gospel? "Ah, fácil: música que fala de Deus, Jesus, da Bíblia, que tenha mensagens da Bíblia, etc." Então tá. Se isso é música gospel, podemos dizer então que Renato Russo escreveu muita música gospel, pois falava desses temas em suas músicas. Roberto Carlos também. Mas, obviamente, nem você nem ninguém consideraria esses artistas "gospel".

Então já vimos que pra ser gospel (dessa maneira que entedemos o "gospel") não basta ter letra que fala daqueles temas acima.

"Então, tá bom. Tô entendendo... pra ser gospel o cara precisa ter uma vida de acordo com os preceitos do Cristianismo, dentro dos padrões bíblicos... "

Então tá. Agora tu chegou no meu ponto. A gente usa o termo "música gospel" se referindo à "música cristã." Mas pense: "Gospel", ou cristão, tem a ver com a VIDA. Isso é tão óbvio, mas parece que alguns não entendem. A palavra gospel quer dizer evangelho em inglês, que por sua vez quer dizer "boa-nova".

Dessa forma, chegamos a conclusão inicial: não existe música gospel. Nem gravadora gospel, nem revista gospel, nem site gospel, nem escreva qualquer coisa aqui gospel. Por quê? Porque nada disso pode ouvir a boa-nova, olhar pra sua vida, se arrepender dos seus erros e nascer de novo.
O que existe então ?

Existem "pessoas gospel"

Existem pessoas que nasceram de novo e vivem segundo os preceitos bíblicos ensinados por Jesus, e outras que não vivem. João Alexandre que costuma dizer: não existe Mi maior santo e Mi Menor profano. Existe sim uma pessoa cristã, santa, separada, convertida, nascida de novo, e outra não.

Mas aí vem a questão. Estas pessoas produzem música. E como enquadrar essa música que elas produzem?

Os artistas em geral produzem arte. Essa arte reflete o artista, reflete o que ele crê, o que ele pensa, o que ele quer passar ou expressar. Os artistas músicos escrevem músicas que falam de coisas diversas, coisas que são importantes pra eles, que falam por eles, que são o reflexo da alma do artista. Dessa forma, um artista não cristão escreve músicas que falam dessas coisas, e nada o impede de escrever músicas com temas bíblicos, falando de Deus, bem como de qualquer outra coisa. Mas isso não o torna um artista cristão.

Da mesma forma, o artista cristão escreve músicas.
E aí vem o problema. O artista cristão (principalmente brasileiro), em geral, só escreve sobre uma coisa: Sua fé. Por quê? Por que se ele escrever sobre qualquer outra coisa, ele corre o risco de ser tachado de "não gospel", de não crente, pelo primeiro crente mainstream que passar pela frente. Por isso, bandas como Anberlin, Lifehouse etc. (lá fora), e Aeroilis, Tanlan etc. (aqui dentro) são freqüentemente perguntadas se "são gospel mesmo?" É como se o cristão fosse tão burro que não soubesse falar de outra coisa que não fosse sua fé.

Então, o que os artistas cristãos fazem? Eles simplesmente escrevem músicas que são verdades pra eles. Eles escrevem coisas que querem dizer, que julgam ser importantes. Muitas vezes, elas vem com letras que falam de Deus, de Jesus, explicitamente... outra vezes, eles falam de temas que são muito cristãos, mas que não tem o nome JESUS lá. Outra ainda, eles falam de relacionamentos, da vida, das namoradas, do café da mãe que é gostoso, ou da sua cidade natal que é muito legal. E aí, quando eles falam disso... eles deixam de ser gospel? Claro que não... porque não é a sua música que é gospel... são eles que são.

Quer algo mais cristão que as letras do U2? E alguém diz que eles são Gospel? Olhem o Jars of Clay... a poesia deles é por vezes extremamente vaga no que diz respeito aos temas cristãos, mas ninguém questiona que são "gospel", talvez pelo simples fato de eles serem de uma gravadora "gospel". Eles podem escrever sobre o que quiserem, mas sempre vão ser "gospel", pois as pessoas se acostumaram com o fato de eles terem surgido numa gravadora essencialmente "cristã" (como se a gravadora pudesse se converter e virar "cristã").

"Banda de Rock Gospel", ou "Banda Cristã"... que conceito errôneo! Por que então não chamamos o Beastie Boys de banda de Rap Budista, já que eles são quase todos budistas? Existe uma banda, e o membros dessa banda têm suas convicções. Eles as expressam ou não nas suas letras, de forma figurativa, poética, relevante, inteligente (como bandas americanas como Jars, Switchfoot etc. fazem) ou de forma rasa, direta, messiânica, piegas - (como a imensa maioria das bandas brasileiras fazem - e que eu, justamente por isso, considero horríveis, mas isso é assunto pra outro dia...)

Mas o que está por trás da pergunta: "Eles são gospel?" Na verdade, quem pergunta isso está querendo dizer... "se me disserem que não são, eu vou parar de ouvir, pois não ouço música profana. Mesmo se as músicas dessa banda falem mensagens construtivas, bonitas, edificantes, até cristãs, vou parar de ouvir... porque eles não são "gospel."

A notícia mais lida do Dot até hoje acho que foi a do Evanescence "tirando a máscara". Que ilusão... Não sei muito sobre a vida da tal da Amy Lee, mas creio que ela deve ser sim uma cristã... (só Deus poderá julgá-la, mas é minha opnião). Sei que teve formação religiosa e que formou a banda num acampamento cristão. Agora, as letras dela, algumas são maravilhosas, com mensagens lindas, bíblicas, cristãs. E não é por ela não ser de uma gravadora gospel, ou de vez em quando pisar na bola que eu vou deixar de ouvi-la e rechaçá-la por ela "não ser gospel".

Na minha opinião, é a velha ignorância da grande parte dos evangélicos em entender que eu posso ser edificado por uma bela canção do Live (grande banda "secular" americana) que diz que "Eu não preciso que ninguém me fale sobre Deus ou sobre verdade, pois eu olho para o pôr-do-sol e O vejo."

No momento que eu ouço isso, e isso me edifica... o Live se tornou a maior banda gospel do mundo para mim.

Um abraço, com amor - que é a maior mensagem do evangelho de Cristo.

Tiago Garros

Feito pra voar

Republicando o Joyful 'toon Feito para voar.
Clique sobre a imagem para vê-la em tamanho maior.
.
.
Joyfull 'toon_Feito pra voar
.
.
Publicado aqui sob a autorização de Mike Waters (Joyful 'toons).
.
Tradução por Mural na Net. Versão em português produzida pelo próprio autor.

sábado, 24 de janeiro de 2009

That's the question, Mr. Obama!

Mais outra do Enio Lins na Gazeta de Alagoas. He he.
 
CHARGE220109 

Eu só peço a Deus - Mercedes Sosa e Beth Carvalho

Queria deixar pra vocês hoje, uma canção-oração interpretada por Mercedes Sosa e Beth Carvalho. E que peçamos a Deus que quando ele retonar não nos encontre indiferentes aos nossos irmãos e a nosso lar adotivo.


Evangelismo com um toque a mais

Em entrevista, John Stott reflete sobre nossa situação passada e futura.

Entrevista a Tim Stafford em 13 de outubro de 2006.

Em 2004, David Brooks, colunista do New York Times, escreveu que, se os evangélicos fossem escolher um papa, o eleito seria, muito provavelmente, John Stott que, aos 85 anos, encontra-se no centro da renovação evangélica que ocorre no Reino Unido. Seus livros e sermões bíblicos já cativaram milhões de pessoas por todo o mundo. Está sempre envolvido com concílios e diálogos mundiais importantes, inclusive como presidente do comitê que elaborou o Pacto de Lausanne (1974) e o Manifesto de Manila (1989) – dois documentos importantes para os evangélicos. Há mais de 35 anos ele dedica, todos os anos, três meses para viajar pelo mundo, dando atenção especial às igrejas localizadas em regiões onde o cristianismo é minoria. é pessoa mais do que adequada para comentar o passado, presente e futuro dos evangélicos. O repórter Tim Stafford, da revista Christianity Today, entrevistou John Stott em sua casa, em Londres.

Segundo sua opinião, o que é ser evangélico, e qual a importância disso?
JOHN STOTT - Um evangélico é um cristão simples e comum. Situamo-nos no centro do cristianismo histórico, bíblico e ortodoxo. Por isso podemos recitar o Credo Apostólico e o Niceno sem temor. Cremos em Deus Pai, em Jesus Cristo e no Espírito Santo.

Tendo dito isso, há dois aspectos que quero enfatizar: por um lado, a preocupação com a autoridade e, por outro, a salvação.

Para os evangélicos, a autoridade é Deus, que falou de modo supremo em Jesus Cristo. E isso vale também para a redenção, ou salvação. Deus agiu em e através de Jesus Cristo para salvar os pecadores.

Creio ser necessário que, para os evangélicos, acrescentar o que Deus falou em Cristo e no testemunho bíblico sobre Ele, e o que Deus fez em e através de Cristo são, ambos, para usar o termo grego, hapax – que significa "de uma vez por todas". A palavra e a obra de Deus em Cristo são definitivas. Imaginar que podemos acrescentar uma palavra sequer à palavra ou à obra dele é um desprezo imenso pela glória única de nosso Senhor Jesus Cristo.

Você não mencionou a Bíblia, e isso pode surpreender algumas pessoas.
Na verdade eu mencionei, mas você não notou. Falei Cristo e o testemunho bíblico sobre Cristo. Mas a ênfase realmente distintiva repousa em Cristo. Se você quer assim, pretendo passar a convicção de um livro para uma pessoa. O próprio Jesus afirmou que as Escrituras dão testemunho dele. A principal função delas é testemunhar de Cristo.

Parte da implicação do que você diz é que os evangélicos não devem ser um povo com inspiração negativa. Nosso verdadeiro foco deve ser a glória de Cristo.
Creio firmemente nisso. Cremos na autoridade da Bíblia porque Cristo a endossou. Ele se coloca entre os dois testamentos. Olhando para o passado, o Antigo Testamento, vemos que Ele o confirmou. Olhando para frente, para o Novo Testamento, aceitamos por causa do testemunho dos apóstolos sobre Cristo. De forma deliberada, Ele escolheu, nomeou e preparou os apóstolos, para testemunharem sobre Ele. Gosto de ver Cristo no centro, confirmando o antigo e apontando para o novo. Embora a questão do cânon do Novo Testamento seja complicada, em geral somos capazes de afirmar que o que é canônico é apostólico.

Em que a posição dos evangélicos mudou durante os anos de seu ministério?
Olho para trás – fui ordenado há 61 anos – e lembro que quando comecei na Igreja da Inglaterra, os evangélicos eram uma minoria desprezada e rejeitada. Os bispos não perdiam a menor oportunidade para nos ridicularizar. Nos 60 anos seguintes, vi o movimento evangelical na Inglaterra crescer em tamanho, em maturidade, e com certeza, em erudição. Por isso, penso em termos de influência e impacto. Saímos de um gueto e nos colocamos em posição de predomínio, lugar muito perigoso.

Você pode comentar sobre os perigos?
O orgulho é o perigo que está presente sempre e que se coloca diante de nós. Em muitos aspectos, é bom sermos desprezados e rejeitados. Penso nas palavras de Jesus: "Ai de vocês, quando todos falarem bem de vocês".

Voltando ao hapax, é um conceito que acarreta humildade. A essência da fé evangélica é muito humilhante. William Temple disse: "A única coisa minha com que contribuo para a redenção é o pecado do qual preciso ser redimido".

Temos visto, também, um enorme crescimento da Igreja por todo o mundo, em grande parte nas linhas evangélicas. Qual a sua opinião sobre a importância disso?
Esse crescimento enorme é o cumprimento da promessa de Deus a Abraão registrado em Gênesis 12.1-4. Deus prometeu a Abraão abençoar não apenas a ele, ou a sua família e sua posteridade, mas, através da posteridade dele, abençoar todas as famílias da terra. Sempre que vemos uma congregação multiétnica, presenciamos o cumprimento dessa maravilhosa promessa de Deus. Promessa feita a Abraão, há 4.000 anos e que se cumpre hoje, bem diante de nossos olhos.

Provavelmente, você conhece melhor essa Igreja que cresce do que qualquer outro ocidental. Gostaria de saber sua avaliação sobre ela.
A resposta é "crescimento sem profundidade". Ninguém contesta o crescimento imenso da Igreja, mas tem sido, em grande escala, numérico e estatístico. E o crescimento do discipulado não tem sido equivalente ao aumento dos números.

Como a igreja ocidental, que com certeza tem seus próprios problemas, pode interagir com a igreja não-ocidental? Neste exato momento muitas igrejas enviam grupos missionários para todas as partes do mundo.
Com toda certeza quero ter opinião positiva sobre viagens missionárias de curto prazo e creio que, no todo, são boas. Certamente dão aos ocidentais uma oportunidade maravilhosa de saborear o cristianismo do sul e de serem desafiados por ele, particularmente pela vitalidade exuberante que apresenta. Mas penso que os líderes dessas viagens missionárias agiriam com sabedoria advertindo os membros de que é uma experiência muito limitada, em uma missão transcultural.

A verdadeira missão, baseada no exemplo de Jesus, envolve penetrar em outro mundo, de outra cultura. A missão transcultural, em que o missionário encarna a outra cultura, é cara e pode ter um preço alto a pagar. O que quero dizer é: devemos entender que, quando Deus chama um missionário transcultural, serão necessários 10 anos para aprender a língua e conhecer a outra cultura e, assim ser, mais ou menos aceito, como parte do mesmo povo.

Então, não há como substituir um missionário de longo prazo?
Creio que não, à exceção de cristãos da mesma cultura.

E o que dizer sobre o que alguns dizem ser o maior campo missionário, sua própria cultura secularizadora ou secularizada? O que precisamos fazer para alcançar essa sociedade a cada dia mais pagã?
Penso que precisamos dizer um ao outro que ela não é tão secular quanto parece. Acredito que essas pessoas que taxamos como seculares se lançam à busca de pelo menos três coisas. A primeira é transcendência. é interessante notar que nessa cultura que classificamos como secular tanta gente procura alguma coisa além. Considero isso um grande desafio à qualidade de nosso testemunho cristão. Será que ele oferece às pessoas o que elas buscam instintivamente, ou seja, a transcendência, a realidade de Deus?

A segunda é a busca de significado. Quase todo mundo procura sua identidade pessoal. Quem sou eu, de onde vim, para onde vou, qual o sentido da vida? Isso desafia a qualidade de nosso ensino cristão. Precisamos ensinar às pessoas quem elas são, já que elas não sabem. Nós sabemos. Elas são seres humanos criados à imagem de Deus, embora a imagem esteja maculada.

A terceira coisa é a busca de comunhão. Em toda parte as pessoas procuram comunhão, relacionamentos de amor. Esse é um desafio à nossa comunhão. Gosto muito do que está escrito em 1 João 4.12: "Ninguém jamais viu a Deus; se amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu amor está aperfeiçoado em nós". A invisibilidade de Deus é um grande problema para muita gente. A questão é: como Deus resolveu essa questão? Primeiro, com Cristo, Deus tornou-se visível. O evangelho de João diz (1.18): "Ninguém jamais viu a Deus, mas o Deus Unigênito, que está junto do Pai, o tornou conhecido".

Muitos dizem que isso é maravilhoso, mas que aconteceu há 2.000 anos. Então, em 1 João 4.12, ele inicia com exatamente a mesma fórmula: ninguém jamais viu a Deus. Mas, dessa vez, João prossegue: "se amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós". O mesmo Deus invisível, que através de Jesus se fez visível, agora se torna visível através da comunidade cristã, se nos amarmos uns aos outros. E qualquer proclamação oral do evangelho será inútil se não for feita por uma comunidade cheia de amor.

Esses três elementos de nossa humanidade estão ao nosso favor para o evangelismo, porque as pessoas buscam exatamente o que temos a oferecer.

Então você não desistiu do ocidente?
Não desisti, mas acredito que o evangelismo deve se dar através da igreja local, da comunidade, e não dos indivíduos. A igreja deveria ser uma sociedade alternativa, sinal visível do reino. E a tragédia é que as igrejas locais muitas vezes falham em demonstrar comunhão.

Você quer falar sobre pregação?
Nunca me canso desse assunto. Sou um defensor inclemente da importância da pregação. Claro que se trata de pregação bíblica.

A pregação bíblica tem enfrentado grandes dificuldades em muitos lugares. O que você tem a dizer a um pastor que tenta, em desespero, prender a atenção do povo e, na verdade não tem a confiança que capacita a pessoa a pregar sobre um texto bíblico?
O problema é o mesmo em toda parte do mundo. Igrejas vivem, crescem e florescem pela Palavra de Deus. E murcham e até mesmo perecem na ausência dela.

Então, a Langham Partnership International (Parceria internacional Langham, instituição sem fins lucrativos fundada por Stott) possui três convicções básicas. A primeira é que Deus quer o crescimento da Igreja, que é dele. Um dos versículos que expressa isso com mais propriedade é Colossenses 1.28-29, onde Paulo diz que proclamamos a Cristo, alertando e ensinando a todos em toda sabedoria, para nos apresentarmos todos maduros em Cristo. Há um chamado claro à maturidade e ao crescimento.

Segundo, ela cresce pela Palavra de Deus. Suponho que você concorde que há outras formas de crescimento para a Igreja, mas, olhando o Novo Testamento como um todo, vemos que é a Palavra de Deus que amadurece o povo dele.

Isso me leva à terceira convicção: a Palavra de Deus chega ao povo, principalmente, pela pregação. Costumo imaginar, nas manhãs de domingo, o espetáculo maravilhoso do povo de Deus convergindo para os lugares de adoração por todo o mundo. Vão a catedrais construídas na Idade Média, a igrejas domiciliares, ao ar livre. Sabem que durante o ato de adoração haverá um sermão, que será bíblico, para que possam crescer através da Palavra de Deus.

Quando subo ao púlpito com a Bíblia nas mãos e no coração, o sangue me corre mais rápido pelas veias e meus olhos brilham devido à glória imensa de ter a Palavra de Deus para apresentar. Precisamos enfatizar a glória e o privilégio de compartilhar a verdade de Deus com o povo.

Que rumo nós, evangélicos, devemos tomar? Passamos por muitos percalços nos últimos 50 anos.
Minha resposta imediata é que precisamos ir além do evangelismo, que não deve ser especialidade dos evangélicos. Bem, sou totalmente comprometido com a evangelização do mundo. Porém, precisamos olhar além do evangelismo, para o poder transformador do Evangelho, tanto dos indivíduos quanto da sociedade.

Com relação aos indivíduos, noto a ausência, nas expressões diversas da fé evangélica, da busca pela santidade que caracterizou nossos antepassados, que fundaram o movimento Keswick, por exemplo, e a procura do que eles às vezes chamavam de santidade bíblica ou prática. Não sei como, mas santidade parece ter um sentido de falsidade. As pessoas não gostam de ser chamadas de santas, mas no Novo Testamento, santidade é semelhança a Cristo. Gostaria que todo o movimento evangélico tomasse a decisão consciente de crescer na semelhança a Cristo, da forma descrita em Gálatas 5.22-23.

Com respeito à transformação social, tenho refletido muito sobre as metáforas que o próprio Jesus escolheu em Mateus 5, o Sermão do Monte – o sal e a luz. "Vocês são o sal da terra; vocês são a luz do mundo". Parece-me que esses modelos apresentam pelo menos três elementos.
Primeiro, os cristãos são totalmente diferentes dos não-cristãos. Se não são, deveriam ser. Jesus coloca as duas comunidades em oposição. De um lado está o mundo, do outro estão vocês, que são a luz para o mundo sombrio. Jesus indicou que somos tão diferentes do mundo quanto a luz das trevas e o sal da deterioração.

Segundo, os cristãos precisam permear a sociedade não-cristã. O sal não serve para nada no saleiro. A luz não ajuda em nada se ficar escondida embaixo da cama ou em um balde. Ela precisa penetrar nas trevas. Então, as duas metáforas nos convidam a ser não apenas diferentes, mas a permear a sociedade.

Terceiro, a implicação mais controversa, as metáforas do sal e da luz indicam que os cristãos podem transformar a sociedade. Os modelos têm esse sentido, já que tanto o sal quanto a luz são bens eficientes, que transformam o ambiente em que são colocados. O sal impede a deterioração por bactérias. A luz dissipa as trevas. Não se trata de ressuscitar o evangelho social. Não podemos aperfeiçoar a sociedade, mas podemos melhorá-la.

Minha esperança é que, no futuro, líderes evangélicos incluam em sua agenda social tópicos essenciais, embora controvertidos, como alterações climáticas, erradicação da pobreza, fim das armas de destruição em massa, além de reagir de forma correta à pandemia da AIDS, defendendo os direitos humanos de mulheres e crianças em todas as culturas. Espero que nossa agenda não permaneça tão limitada quanto é hoje.

Fonte: http://www.cristianismohoje.com.br/

BARACK OBAMA: MINHA OPINIÃO! POSSO?


Muita gente tem me escrito preocupada com o escrevi sobre minhas impressões espirituais acerca das emoções pessoais de Barack Obama sobre si mesmo em relação ao mundo e à História Humana. Querem saber de onde “tirei isto”. Eu, no entanto, apesar de estar ouvindo, vendo e lendo sempre o que precede de Obama, não disse o que disse senão como um sentimento, uma Opinião.

Como disse, Obama é perfeito para o cargo. Tem tudo para dar certo. Carrega os melhores componentes humanos. Em si mesmo ele é um ser “multi”; o que é “ótimo” para o cargo. Entretanto, é a desgraça do que foi Bush, o poder que hoje “unge” Obama de modo igualmente desesperado e passional. Estou pedindo a Deus que eu esteja enganado [ algo que reconhecerei com alegria!]. Mas o que sinto é que Obama é tão perfeito para o cargo que ficou convencido disto. Ora, é aí que mora o perigo!..

Sim! Pois, um Obama sem confiança pessoal no seu próprio papel produziria muito mais pelo mundo!. Entretanto, se Obama se sentir o “ungido da hora”, mesmo que seja um homem de paz, tornar-se-á um Osama ao contrário, o que não é bom; pois, Osama Bin Laden é um ser que se vê também como um “ungido da hora”. O mundo, numa Era Global, tudo o que não precisa é de um “messias global”. Todavia, como poucas vezes desde há muito, vejo a Terra carregada de candidatos a “messias”. É “messias” Latino Americano, Norte Coreano, Iraniano, Bin Ladiano, Europeu, Russo, Chinês, e, agora, Americano.

É muita carga de personalidades “se achando” com papéis determinantes. Um Obama sem tais sinais ajudará o mundo; mas, sendo Presidente Americano, e, além disso, carregando tais sinais, será mal para o mundo, ainda que ele faça tudo certo. Neste caso, sinceramente não sei o que acontecerá. Mas sei que não é bom. Eu, porém, torço para estar enganado, e, ou, para que fique enganado, no caso de hoje não estar.

Não é julgamento. É apenas cautela! Afinal, ninguém no mundo está precisando de mais um messias. Messias só há um. Mas a proliferação deles é produtora, no inicio, de ânimo; e, depois, de grande cinismo. Ora, uma Humanidade mais fria e mais cínica é tudo de que não precisamos.

Com temor e tremor, e, sobretudo oração,

Caio Fábio.

Fonte: www.caiofabio.com

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Piadas

Uma seleção de quatro piadas com temática cristã pra vocês.
 
Um motorista crente preocupado
.
Incomodado com seu próprio temperamento, o crente procurou o pastor para ouvir seus conselhos e obter alguma ajuda:
– Pastor, o que devo fazer quando estou dirigindo e fico nervoso, com vontade de xingar os outros motoristas?
O pastor coçou a cabeça e respondeu:
– Antes de mais nada, você deve tirar do carro aquele adesivo com os dizeres "Jesus te Ama".
 
Faxina na igreja
 
Uma crente estava varrendo a igreja, e a medida que fazia seu trabalho cantarolava a música do comercial:
– A kaiser é uma grande cerveja. A kaiser é uma grande cerveja. A kaiser é uma grande cervejaaa... Ninguém pode negar.
Neste momento ela percebe que o pastor entrou, e como se não visse ele, ela repete:
– A kaiser é uma grande cerveja. A kaiser é uma grande cerveja. A kaiser é uma grande cervejaaa. Mas crente não pode tomar...
 
Não somos do mundo
 
Sempre após os cultos, para chegar em sua casa, uma irmã já velhinha tinha a obrigatoriedade de passar em frente ao cemitério. Certa noite, naquele lugar, em plena escuridão, ela foi agarrada por um bandido. Ela lutou o quanto pode, mas o bandido não a largava. Foi aí que ela pediu: "Me solta moço, que eu num sô desse mundo!!" -- Dizem que o bandido está correndo até hoje.
 
História de pastor pescador
 
Três pastores resolveram aproveitar sua segunda de folga para uma pescaria em um lago. Já no barco, começaram a remar para o meio do lago. Foi então que um dos pastores se deu conta de que havia esquecido o seu caniço na margem. Calmamente desceu do barco e caminhou em direção à margem.
Na seqüência, outro pastor reparou que havia esquecido as minhocas. Ele também desceu do barco e caminhou em direção à margem.
O terceiro pastor permaneceu no barco, estupefato. Quando os dois pastores voltaram, ele disse:
– Se vocês foram capaz de caminhar sobre a água, eu também posso!
E foi. Mas ao pisar fora do barco, começou a afundar.
Os outros dois pastores se olharam e um deles disse:
– Você não acha que deveríamos ter mostrado para ele onde que a pedras estão?

Tony versus Paul

Uma estorieta de dois caras, Tony e Paul, dois amigos que passam por um pequeno desentendimento. São 5 minutos de vídeo todo feito em stop motion! Bem criativo!
 
 
 
 

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Devagar aí, Mr. Obama!

 
CHARGE210109
 
Fonte: Enio Lins em Gazeta de Alagoas

Breve discurso teológico

por: Tonho




Senhoras e senhores, irmãos e irmãs aqui presentes. Por longos anos nós debatemos e tentamos, com todo empenho entender e formular uma sã doutrina de acordo com as palavras deixadas na Sagrada Escritura. Graças a esse esforço... esforço de padres, pastores, igrejas e outras instituições, teólogos, magistrados, tradutores... graças a eles, hoje temos em mãos uma Teologia coerente, digna de nossa confiança e credo. Glorifiquemos ao bom Deus pelo que obtivemos até agora...

[clap, clap, clap, clap, clap]

Porém… porém… ainda existem perguntas e dúvidas acerca de Deus e das Sagradas Escrituras que a Teologia ainda não respondeu. Pensando nisso, esta instituição que sempre foi símbolo de vanguarda e espírito inovador, esta instituição decidiu fazer algo sério e significativo para que possamos, finalmente conhecer a Teologia de maneira absoluta.

[clap, clap, clap]

Não quero me delongar mais, pois hoje deve ser uma noite para desfrutarmos de sua santíssima presença, unicamente. Por esta razão e por outras muitíssimo mais teológicas, dispensarei apresentações a ele que, nenhuma palavra pode descrever e nenhum homem pode conceber. Portanto, é com toda adoração, louvor e amor que recebemos o palestrante dessa noite, Jesus Cristo de Nazaré, o Deus encarnado...

[clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap... podem se acentar, podem se acentar, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap...]

Sei que vocês todos estão bem animados com minha presença, agradeço a todos por tal demonstração. Porém, peço encarecidamente que me poupem, especialmente durante a palestra, de todos os aplausos e manifestações de louvor e adoração. Posteriormente, caso desejem, podemos ter um momento especial dedicado a esse tipo de atividade. Quero também agradecer à tradicional e renomada Universidade por esse convite. Depois de dois mil anos, eu já desejava mesmo retornar pra esclarecer alguns pontos do que falei e, creio eu, foram mal interpretados ao longo desse tempo. Serei breve, prometo.

Em primeiro lugar, vamos esclarecer minha relação com meu Pai, confesso que me admira que vocês brigaram tanto por algo tão simples. Mas eu perdôo vocês por não terem entendido o que eu disse, porque tampouco entendo toda essa complicação filosófica que vocês denominaram Trindade. Pois bem, é simples. Eu sou o Filho de Deus. Sendo assim, quem olha pra mim, vê meu Pai, que é Deus.

Tendo elucidado esta importante parte da minha Teologia, e espero que os livros possam ser corrigidos, podemos prosseguir pra outros conceitos também relevantes.

Gostaria de explicar o Reino de Deus, pois é fundamental para o entendimento de todo o resto. Admito a complexidade da definição e a dificuldade que vocês tiveram em compreender as diferentes interações do Reino com os homens, com a Igreja e a presente realidade. Pois bem, o Reino de Deus, na verdade, é uma moeda que uma mulher perdeu, e quando achou ela ficou muito feliz. Considerando tal fato, é importante que também seja ressaltado que, se uma mão impedir você de entrar no Reino, os colegas devem cortá-la fora. Aliás, é vital para a platéia reconsiderar não somente a valia da mão, como de muitos outros recursos, haja vista que felizes são os pobres, pois deles é o Reino de Deus.

Isto me traz ao tema da salvação. O que vocês tem que fazer pra serem salvos? Bom, existem diversos modos que eu posso dizer a mesma coisa, mas me parece que vocês não entenderam bem nenhum deles. Hora tendem pra um aspecto, hora pra outro. Tentarei então, explicar novamente com palavras mais simples e atuais.

Naquele dia vou separar as pessoas em dois grupos. Então direi aos que estiverem no lado direito: Venham, meus irmãos benditos! Entrem no Reino que foi feito desde a criação do mundo pra ser herança pra vocês. Pois vocês me deram de comer quando tive fome; de beber quando tive sede; me acolheram quando fui estrangeiro; me vestiram quando eu estava necessitado; vocês cuidaram de mim quando eu estive doente e me visitaram quando eu tava preso.

Então os justos vão perguntar: Senhor, quando te demos de comer, ou de beber? Quando te acolhemos, e te vestimos? Quando fomos te visitar? E daí eu vou responder: Vocês fizeram pra mim o que fizeram a algum dos meus menores irmãos.

Depois, direi aos da esquerda: Malditos, vão para o fogo inferno! Pois eu tive fome, e vocês não me deram de comer; tive sede, e nada me deram de beber; fui estrangeiro, e vocês não me acolheram; necessitei de roupas, e vocês não me vestiram; estive enfermo e preso, e vocês não me visitaram.

Vocês também responderão: Senhor, quando te vimos com fome ou com sede ou estrangeiro ou necessitado de roupas ou enfermo ou preso, e não te ajudamos? E eu direi: Digo a verdade: o que vocês deixaram de fazer a alguns destes mais pequeninos, também a mim deixaram de fazê-lo. Obviamente, os primeiros irão para a vida eterna e os últimos para o fogo eterno.

Sinto que já tomei demasiado o tempo de tão ocupados teólogos, beatos, padres, pastores, médiuns e benzedores. Portanto, cônscio que cumpri minha tarefa de elucidar os pontos mais elementares do meu discurso, encerrarei minha participação nesta noite.

[mestre de cerimônias, sem graça, sobe ao palco e cochicha algo no ouvido de Cristo]

Estou também ciente que existem doentes na platéia e que esses vieram aqui pra que eu pudesse orar e curar vocês. Eu sei que em outro tempo, esta foi minha pratica, entretanto, não posso mais fazer isso. No caso, estaria invadindo a jurisdição do Espírito Santo, que veio justamente pra que vocês pudessem fazer isto uns pelos outros, no meu nome. Eu sei, eu sei, mas é impossível quebrar esta regra, pois demandaria uma burocracia celestial que vocês não tem idéia. Falando nisso, é hora de eu ir embora. Obrigado a todos, fiquem com minha paz, tchau.

Fonte: Underground

Duerme Negrito

A pedidos do meu mano JT, aqui vai o clip de Duerme Negrito na belíssima e poderosa voz de Mercedes Sosa.
.
Duerme Negrito é uma composição de Atahualpa Yupanqui que é um pseudônimo de Héctor Roberto Chavero, ele foi um compositor, cantor, violonista e escritor argentino.
.
É considerado um dos mais importantes divulgadores de música folclórica daquele país. Suas composições foram cantadas por reconhecidos intérpretes, como Mercedes Sosa, Alfredo Zitarrosa, Víctor Jara, Ángel Parra e Marie Laforêt, entre outros, continuando a fazer parte do repertório de vários artistas na Argentina e em diferentes partes do mundo.
.
Filho de pai quéchua e mãe basca, mudou-se ainda criança com a família para Agustín Roca, em cuja ferrovia seu pai trabalhava.Na adolescência, começa a tomar aulas de violão com o concertista Bautista Almirón, viajando diariamente os 15 quilômetros que o separavam da casa do mestre.
.
É dessa época o pseudônimo Atahualpa Yupanqui, em homenagem a Atahualpa e Tupac Yupanqui, os últimos governantes incas.
.
Duerme Negrito é uma canção de ninar muito famosa, e a expresão "demonio branco" seria algo equivalente a "boi da cara preta" nas nossas canções de ninar brasileiras.


A letra da música é:

Duerme, duerme, negrito
Que tu mama está en el campo, negrito

Duerme, duerme, mobila
Que tu mama está en el campo, mobila

Te va traer codornices
Para ti.
Te va a traer rica fruta
Para ti
Te va a traer carne de cerdo
Para ti.
Te va a traer muchas cosas
Para ti.

Y si el negro no se duerme
Viene el diablo blanco
Y zas le come la patita
Chacapumba, chacapumba, apumba, chacapumba.

Duerme, duerme, negrito
Que tu mama está en el campo,
Negrito

Trabajando
Trabajando duramente, (Trabajando sí)
Trabajando e va de luto, (Trabajando sí)
Trabajando e no le pagan, (Trabajando sí)
Trabajando e va tosiendo, (Trabajando sí)

Para el negrito, chiquitito
Para el negrito si
Trabajando sí, Trabajando sí

Duerme, duerme, negrito
Que tu mama está en el campo
Negrito, negrito, negrito.

O Tigre


Tigre, tigre, viva chama

Que as florestas da noite inflama,

Que olho ou mão imortal podia

Traçar-te a terrível simetria ?


Em que abismo ou céu longe ardeu

O fogo dos olhos teus?

Sobre que asas se atreveu a ascender ?

Que mão teve a ousadia de capturá-lo ?

Que espada, que astúcia foi capaz de urdir

As fibras do teu coração ?


Quando ele já estava batendo,

Que mãos e que pés horrendos?

Puderam arrancar-te da profunda caverna,

Para trazer-te aqui ?

Que martelo te forjou ? Que cadeia ?

Que bigorna te bateu ? Que poderosa mordaça

Pôde conter teus pavorosos terrores ?


Quando os astros lançaram os seus dardos,

O céu em pranto o banharam,

Sorriu ele ao ver seu feito ?

Fez-te quem fez o cordeiro?


Tigre, tigre, viva chama

Que as florestas da noite inflama,

Que olho ou mão imortal ousaria

Traçar-te a terrível simetria ?


William Blake

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Ser Deus não é facil.

Tá pensando que é facil ser Deus? Esse vídeo que encontrei no Blog Pano pra Manga mostra que ser Deus não é nada mole. Confira você mesmo



Mercedes Sosa - A voz da América Latina


De volta com nosso espaço musical aqui no blog. O som do mural traz até vocês toda a genialidade de Mercedes Sosa, La Negra de las Américas.

Descoberta aos quinze anos de idade, cantando numa competição de uma rádio local da cidade natal, quando foi-lhe oferecido um contrato de dois meses.

Admirada pelo timbre de contralto, gravou o primeiro disco Canciones con Fundamento, com um perfil de folk argentino. Consagrou-se internacionalmente nos EUA e Europa em 1967, e em 1970, com Ariel Ramirez e Felix Luna, gravando Cantata Sudamericana e Mujeres Argentinas. Gravou um tributo também à chilena Violeta Parra.

Sosa interpreta um vasto repertório, gravando canções de vários estilos. Atua freqüentemente com muitos músicos argentinos como León Gieco, Charly García, Antonio Tarragó Ros, Rodolfo Mederos e Fito Páez, e outros latino-americanos como Milton Nascimento, Fagner e Silvio Rodríguez.

É também uma conhecida ativista política de esquerda, foi peronista na juventude. Em tempos mais recentes manifestou-se como forte opositora da figura de Carlos Menem e apoiou a eleição do atual presidente Néstor Kirchner. A preocupação sócio-política refletiu-se no repertório interpretado, tornando-se uma das grandes expoentes da Nueva Canción, um movimento musical latino-americano da década de 60, com raízes africanas, cubanas, andinas e espanholas.
.
No Brasil, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Chico Buarque, entre outros artistas, são expressões da Nueva Canción, marcada por uma ideologia de rechaço ao alegado imperialismo norte-americano, ao consumismo e à desigualdade social.

Veja e ouça um pouco da potente voz de La Negra: Gracias a La Vida, Razon de vivir e Canción con todos








terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Um dia de cão em um show evangélico

por Thiago Bomfim


Esse é um relato do leitor e blogueiro Gonzaga Soares, do Mural na Net. Ele deixou o “conto” no post da Série Evangelismo que falava sobre Shows Evangélicos.

É engraçado, pois foi narrado de modo irônico. Ao mesmo tempo é vergonhoso ler e ter que ser noticiado de que a igreja abriga um bando de trogloditas, fomentados pela baderna feita pelos “organizadores” dos eventos.

"Moro em Maceió, Alagoas, e recentemente tem ocorrido aqui uma espécie de explosão de shows evangélicos, em media um por semana, mas confesso que desisti de ir a shows evangélicos. E a minha última investida em um show gospel foi desastrosa. Deixe-me explicar.Recentemente fui ao Show do Teatro Mágico, alias fui nas duas vezes que eles passaram aqui na terrinha. E que espetáculo maravilhoso: boa musica, performance incrível, uma festa incrível, eles são super-simples e após o show bateram um papo com a galera, tiraram fotos e distribuíram autógrafos até a ultima pessoa que queria. Outra curiosidade é que havia gente bebendo, tinha fumante e muita descontração, animação, etc [grifo do Livreiro]. O show começou exatamente na hora marcada e ouvimos o que pagamos para ouvir, alias um preço justo, foi incrível.
.
Sete dias depois fui convencido por um amigo a ir para um show evangélico, onde se apresentariam Chris Duran, Roberta de Ângelo e PG. Desconfiado e meio sem querer, resolvi ir, afinal tinha ganhado o ingresso, acredite deveria ter fiado em casa dormindo.Vamos aos fatos:
O show deveria começar as 20h. Sabendo da boa embromação evangélica em shows, chegamos por volta de 22:00h (!!!!!!!) e acredite ainda tivemos que ouvir pelo menos uns dois cantores locais que só a graça para suportar (rs) a má qualidade musical e ego de estrelas que estavam “arrasando”.

Depois de muito “eles já tão vindo” e “ ele já tá no camarim” ouvimos o Chris Duram subir ao Palco por volta de 23h30min. Diga-se de passagem, um cara crente e aparentemente comprometido com Deus, um dos poucos bons momentos da noite.

Após o Chris cantar, entra no palco Roberta de Ângelo ao som de play back. Não agradou muito. Fiquei meio envergonhado, pois, enquanto ela cantava, o pessoal da produção aprontava o palco atrás dela para a apresentação do PG que viria em seguida. A galera, devo registrar, era um publico muito pequeno para o tamanho do evento. Enquanto a moça cantava o pessoal foi dispensado para lanchar e ir ao banheiro, ficando um punhado de fiéis amantes do “É gospel? To dentro!”.

Finalmente à 01:00 h da madrugada PG sobe ao palco. Seria o auge da noite, mas o que aconteceu em seguida me fez indagar “Deus porque eu não fiquei em casa?”.

PG mal começou a cantar a primeira música e a briga começou. Era crente correndo pra tudo quanto era lado. No meio da confusão corri pra salvar minha câmera, pulando em direção às arquibancadas do ginásio que estavam vazias (ainda bem que o Gonzaga é ninja,rs).

PG para (nova ortografia) o show e, com muita educação, pede pra galera não empurrar, o que se mostrou totalmente inútil quando ele começa a cantar a segunda musica.

Briga novamente! Correria e mais uma vez show interrompido. Desta vez totalmente irritado e com total razão PG ameaça não cantar mais e ir embora. Dá um sermão na platéia gospel, que, por sinal ,gravei uma parte com minha câmera“ só assim consegui terminar o show. Se estranhei isso? Claro que não. Com exceção de show com cantores adventistas que são super-organizados, não lembro de ter ido a nem um show evangélico aqui que não tenha que ser interrompido para parar uma briga e dizer aos crentes que eles são crentes.

Por fim, por volta das 02h30min da madrugada o show acabou: correria pra se pegar autógrafos e esbarros em seguranças. E assim dei graças a Deus pelo fim daquela noite cruel e repeti para mim mesmo e pro meu amigo que não voltaria a shows evangélicos, da próxima vez que quiser me divertir ou curtir uma boa música, vou esperar um show do Djavan, Marisa Monte, Teatro Mágico…" Gonzaga Soares
.
É hilário o relato do nosso amigo, né? Eu gostei demais! E, como “bônus” do depoimento, deixo o vídeo que ele mesmo gravou com a câmera (salva) dele. Trata-se de uma sova verbal que o PG deu nos “irmãozinhos”.


Fonte: http://livrariadothiago.com

O " Salvador" do mundo toma posse

obama2
Barack Obama (Imagem da Enciclopédia Britânica On line)
 
O título do nosso post é o mesmo do post do Antena Cristã falando sobre o "Salvador-Pop-Místico-Universal" Barack Hussein Obama, que toma posse da presidência dos Estados Unidos hoje – o texto entre aspas também foi tirado do Antena Cristã.
 
O post do blog acima divulga o The Obama File, um site que fala de vários aspectos da vida do novo presidente norte-americano, inclusive de sua fé. Pena que está em inglês. Mas se você conhece a língua, vale a pena visitar.
 
Texto também interessante pra ler é O candidato do medo, de Olavo de Carvalho, um texto de outubro de 2008, mas que ainda é atual.
 
Boa leitura é também a matéria do Cristianismo Hoje apresentando uma entrevista com Obama onde o mesmo fala de fé, aborto e o voto dos evangélicos.
 
Boas doses de informação pra você! E, caso esteja nos EUA assistindo à posse do "ômi", manda fotos aqui pro Mural, tá?! :-))))

There's probably no God

There's probably no God_bus propaganda
Imagem de PubADdict. Clique sobre ela para ampliá-la.
 
 
Diz a frase na lateral do ônibus da foto acima:
Provavelmente Deus não existe. Agora, pare de se preocupar e desfrute a vida.
 
 
Esta é uma campanha (site oficial aqui) lançada em Londres, na Inglaterra, que vai buscar persuadir as pessoas a se tornarem ateus por meio de mensagens que colocam em dúvida a existência de Deus. Ontem, o slogan podia ser visto em ônibus que circulavam pela capital britânica.

Segundo o jornal The Guardian, 800 ônibus na Inglaterra, Escócia e País de Gales vão carregar a mensagem. A partir da próxima segunda-feira, as estações de metrô de Londres também receberão mil cartazes duvidando da existência de Deus. Os organizadores também usarão uma série de frases de escritores que reforçam o ateísmo.

O lançamento da campanha, que aconteceu no memorial Albert, contou com a participação do escritor Richard Dawkins, autor de A ilusão de Deus. Na oportunidade, a autora da iniciativa, a escritora Ariane Sherine, disse que o número de doações que a campanha tem recebido demonstra que o "sentimento" ateu está forte na Grã-Bretanha.

(Redação Terra, em 07 de janeiro de 2009, com pequenas modificações do Mural)

Líderes religiosos britânicos e o padre português Anselmo Borges, nesta página aqui do Diário de Notícias, até acharam a campanha "interessante". Um dos motoristas desses ônibus recusou-se a dirigi-los. Veja a notícia aqui.

Por que "pagar mico"?

A expressão “pagar o mico” é certeira quando alguém passa vergonha ou dá vexame. Mas o que, de fato, o animalzinho teria a ver com isso?

No livro “O Bode Expiatório”, o professor Ari Riboldi nos explica que no jogo infantil “Mico Preto”, cada uma das cartas corresponde a um animal, cada qual com seu par, havendo a formação de casais, onde apenas o mico não tem um par.

Com todos os pares formados, o jogo termina, sendo o perdedor aquele que estiver com o mico na mão.

Fonte: Terra Educação via Dormiu!

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Eu tenho um sonho...


O JT já postou aqui um trecho do famoso discurso do Rev. Martin Luther King "I Have a Dream" (Eu tenho um sonho). E você confere o discurso na integra abaixo, ao som de "Pride [In The Name Of Love]" do U2, uma homenagem da banda a Martin Luther King Jr.

"Eu estou contente em unir-me com vocês no dia que entrará para a história como a maior demonstração pela liberdade na história de nossa nação.

Cem anos atrás, um grande americano, na qual estamos sob sua simbólica sombra, assinou a Proclamação de Emancipação. Esse importante decreto veio como um grande farol de esperança para milhões de escravos negros que tinham murchados nas chamas da injustiça. Ele veio como uma alvorada para terminar a longa noite de seus cativeiros.

Mas cem anos depois, o Negro ainda não é livre.

Cem anos depois, a vida do Negro ainda é tristemente inválida pelas algemas da segregação e as cadeias de discriminação.

Cem anos depois, o Negro vive em uma ilha só de pobreza no meio de um vasto oceano de prosperidade material. Cem anos depois, o Negro ainda adoece nos cantos da sociedade americana e se encontram exilados em sua própria terra. Assim, nós viemos aqui hoje para dramatizar sua vergonhosa condição.

De certo modo, nós viemos à capital de nossa nação para trocar um cheque. Quando os arquitetos de nossa república escreveram as magníficas palavras da Constituição e a Declaração da Independência, eles estavam assinando uma nota promissória para a qual todo americano seria seu herdeiro. Esta nota era uma promessa que todos os homens, sim, os homens negros, como também os homens brancos, teriam garantidos os direitos inalienáveis de vida, liberdade e a busca da felicidade. Hoje é óbvio que aquela América não apresentou esta nota promissória. Em vez de honrar esta obrigação sagrada, a América deu para o povo negro um cheque sem fundo, um cheque que voltou marcado com "fundos insuficientes".

Mas nós nos recusamos a acreditar que o banco da justiça é falível. Nós nos recusamos a acreditar que há capitais insuficientes de oportunidade nesta nação. Assim nós viemos trocar este cheque, um cheque que nos dará o direito de reclamar as riquezas de liberdade e a segurança da justiça.

Nós também viemos para recordar à América dessa cruel urgência. Este não é o momento para descansar no luxo refrescante ou tomar o remédio tranqüilizante do gradualismo.

Agora é o tempo para transformar em realidade as promessas de democracia.

Agora é o tempo para subir do vale das trevas da segregação ao caminho iluminado pelo sol da justiça racial.

Agora é o tempo para erguer nossa nação das areias movediças da injustiça racial para a pedra sólida da fraternidade. Agora é o tempo para fazer da justiça uma realidade para todos os filhos de Deus.

Seria fatal para a nação negligenciar a urgência desse momento. Este verão sufocante do legítimo descontentamento dos Negros não passará até termos um renovador outono de liberdade e igualdade. Este ano de 1963 não é um fim, mas um começo. Esses que esperam que o Negro agora estará contente, terão um violento despertar se a nação votar aos negócios de sempre.

Mas há algo que eu tenho que dizer ao meu povo que se dirige ao portal que conduz ao palácio da justiça. No processo de conquistar nosso legítimo direito, nós não devemos ser culpados de ações de injustiças. Não vamos satisfazer nossa sede de liberdade bebendo da xícara da amargura e do ódio. Nós sempre temos que conduzir nossa luta num alto nível de dignidade e disciplina. Nós não devemos permitir que nosso criativo protesto se degenere em violência física. Novamente e novamente nós temos que subir às majestosas alturas da reunião da força física com a força de alma. Nossa nova e maravilhosa combatividade mostrou à comunidade negra que não devemos ter uma desconfiança para com todas as pessoas brancas, para muitos de nossos irmãos brancos, como comprovamos pela presença deles aqui hoje, vieram entender que o destino deles é amarrado ao nosso destino. Eles vieram perceber que a liberdade deles é ligada indissoluvelmente a nossa liberdade. Nós não podemos caminhar só.

E como nós caminhamos, nós temos que fazer a promessa que nós sempre marcharemos à frente. Nós não podemos retroceder. Há esses que estão perguntando para os devotos dos direitos civis, "Quando vocês estarão satisfeitos?"

Nós nunca estaremos satisfeitos enquanto o Negro for vítima dos horrores indizíveis da brutalidade policial. Nós nunca estaremos satisfeitos enquanto nossos corpos, pesados com a fadiga da viagem, não poderem ter hospedagem nos motéis das estradas e os hotéis das cidades. Nós não estaremos satisfeitos enquanto um Negro não puder votar no Mississipi e um Negro em Nova Iorque acreditar que ele não tem motivo para votar. Não, não, nós não estamos satisfeitos e nós não estaremos satisfeitos até que a justiça e a retidão rolem abaixo como águas de uma poderosa correnteza.

Eu não esqueci que alguns de você vieram até aqui após grandes testes e sofrimentos. Alguns de você vieram recentemente de celas estreitas das prisões. Alguns de vocês vieram de áreas onde sua busca pela liberdade lhe deixaram marcas pelas tempestades das perseguições e pelos ventos de brutalidade policial. Você são o veteranos do sofrimento. Continuem trabalhando com a fé que sofrimento imerecido é redentor. Voltem para o Mississippi, voltem para o Alabama, voltem para a Carolina do Sul, voltem para a Geórgia, voltem para Louisiana, voltem para as ruas sujas e guetos de nossas cidades do norte, sabendo que de alguma maneira esta situação pode e será mudada. Não se deixe caiar no vale de desespero.

Eu digo a você hoje, meus amigos, que embora nós enfrentemos as dificuldades de hoje e amanhã. Eu ainda tenho um sonho. É um sonho profundamente enraizado no sonho americano.

Eu tenho um sonho que um dia esta nação se levantará e viverá o verdadeiro significado de sua crença - nós celebraremos estas verdades e elas serão claras para todos, que os homens são criados iguais.

Eu tenho um sonho que um dia nas colinas vermelhas da Geórgia os filhos dos descendentes de escravos e os filhos dos desdentes dos donos de escravos poderão se sentar junto à mesa da fraternidade.

Eu tenho um sonho que um dia, até mesmo no estado de Mississippi, um estado que transpira com o calor da injustiça, que transpira com o calor de opressão, será transformado em um oásis de liberdade e justiça.

Eu tenho um sonho que minhas quatro pequenas crianças vão um dia viver em uma nação onde elas não serão julgadas pela cor da pele, mas pelo conteúdo de seu caráter. Eu tenho um sonho hoje!

Eu tenho um sonho que um dia, no Alabama, com seus racistas malignos, com seu governador que tem os lábios gotejando palavras de intervenção e negação; nesse justo dia no Alabama meninos negros e meninas negras poderão unir as mãos com meninos brancos e meninas brancas como irmãs e irmãos. Eu tenho um sonho hoje!

Eu tenho um sonho que um dia todo vale será exaltado, e todas as colinas e montanhas virão abaixo, os lugares ásperos serão aplainados e os lugares tortuosos serão endireitados e a glória do Senhor será revelada e toda a carne estará junta.

Esta é nossa esperança. Esta é a fé com que regressarei para o Sul. Com esta fé nós poderemos cortar da montanha do desespero uma pedra de esperança. Com esta fé nós poderemos transformar as discórdias estridentes de nossa nação em uma bela sinfonia de fraternidade. Com esta fé nós poderemos trabalhar juntos, rezar juntos, lutar juntos, para ir encarcerar juntos, defender liberdade juntos, e quem sabe nós seremos um dia livre. Este será o dia, este será o dia quando todas as crianças de Deus poderão cantar com um novo significado.

"Meu país, doce terra de liberdade, eu te canto.

Terra onde meus pais morreram, terra do orgulho dos peregrinos,

De qualquer lado da montanha, ouço o sino da liberdade!"

E se a América é uma grande nação, isto tem que se tornar verdadeiro.

E assim ouvirei o sino da liberdade no extraordinário topo da montanha de New Hampshire.

Ouvirei o sino da liberdade nas poderosas montanhas poderosas de Nova York.

Ouvirei o sino da liberdade nos engrandecidos Alleghenies da Pennsylvania.

Ouvirei o sino da liberdade nas montanhas cobertas de neve Rockies do Colorado.

Ouvirei o sino da liberdade nas ladeiras curvas da Califórnia.

Mas não é só isso. Ouvirei o sino da liberdade na Montanha de Pedra da Geórgia.

Ouvirei o sino da liberdade na Montanha de Vigilância do Tennessee.

Ouvirei o sino da liberdade em todas as colinas do Mississipi.

Em todas as montanhas, ouviu o sino da liberdade.

E quando isto acontecer, quando nós permitimos o sino da liberdade soar, quando nós deixarmos ele soar em toda moradia e todo vilarejo, em todo estado e em toda cidade, nós poderemos acelerar aquele dia quando todas as crianças de Deus, homens pretos e homens brancos, judeus e gentios, protestantes e católicos, poderão unir mãos e cantar nas palavras do velho spiritual negro:

"Livre afinal, livre afinal.

Agradeço ao Deus todo-poderoso, nós somos livres afinal."

Related Posts with Thumbnails