sexta-feira, 30 de março de 2012

AFTER EDEN: De onde veio a mamãe?

 
Muito bem pensado esse cartum, não? Criança pergunta cada coisa, né? He he he he.
 
 
 
AFTER EDEN 20010312 
 
 
TRADUÇÃO:
Menino: Diga-me, pai, como você e a mamãe se conheceram?
Legenda: Um momento memorável na história da Terra foi quando o jovem filho de Caim tornou-se a primeira pessoa a perguntar onde Caim arranjou sua esposa.
 
 
Publicado aqui sob a autorização de Dan Lietha (AFTER EDEN).
Agradecimentos a Martin Erwin (Christian Cartoons).
 
Tradução livre por Mural na Net.
 
 

quinta-feira, 29 de março de 2012

Aprendendo a desaprender

..
Foto: Na natureza selvagem


Como estou escrevendo um livro sobre cultura brasileira, volto ao assunto cultura. Difícil abandoná-lo neste momento em que o evangelho no Brasil requer mudanças radicais para continuar crescendo. Sinto uma espécie de estagnação no ar. Precisamos andar para frente.

Muitos dizem que necessitamos de mais teologia. Concordo. Mais “teo” sempre faz bem: teodiálogos, teoteorias, teosoluções. O que não precisamos é de teopessoas posando de Deus e dizendo que este ou aquele movimento pertence ou não a Deus. Precisamos aprender a nos consertar sem nos jogar fora. “Cobeligerância” é o que falta a muitos grupos cristãos: lutarmos juntos pelas mesmas causas, ainda que sendo diferentes, em tornar o Brasil melhor a partir da unidade. Infelizmente muitos querem que uma espécie de peneira divina retire do meio dos “puros” os que se deixaram corromper, para que o evangelho continue salgando.

A pressuposição de que salgamos pela pureza doutrinária é falsa. Salgamos porque fomos perdoados, porque ele salga. Não estou tentando justificar pecados ou teorias anticristo com isto. Porém, creio que ele é. Ele se encarrega de nos encher de graça e trabalha apesar de nós. É nisto que encontro minha paz e minha paixão pela unidade funcional dos cristãos na tarefa de transformação do país.

Dos teóricos que li, o que mais me ajuda neste momento é Lingenfelter. A pressuposição missiológica anterior a ele era de que a cultura humana é um veículo neutro. Em seu livro Transforming Culture — a challenge for christian mission, Lingenfelter propõe que as culturas são intrinsecamente ímpias. Ninguém pode servir ao reino se não se tornar um emigrante, sem caminhar para fora de sua identidade e em direção à cultura do reino.

Trabalhei a partir da pressuposição de Kraft da neutralidade de culturas indígenas extremamente cruéis. A realidade ao meu redor me feria, mas minha missiologia me instruía a me conformar. Fomos despertados no ano 2000 pelos próprios índios, quando eles mesmos gritaram: “Não queremos mais ser assim, queremos mudar”. A partir de então os males da cultura, bem como as pessoas que eram presas por eles, ficaram evidentes pra nós. O ser humano é sempre o mesmo em qualquer cultura que seja: pecador, humano e divino ao mesmo tempo. É bonito, pois carrega em si a semente do divino, e feio, porque a corrompeu. As culturas são lindas e horríveis — nunca neutras. Não podemos engaiolar a imago Dei na “prisão da desobediência”, como Ligenfelter chama a cultura.

No que diz respeito ao Brasil de hoje, há um caminho claro para a igreja. Um caminho difícil, de debates e busca, mas um caminho possível. É o caminho proposto por Lingenfelter, no qual aprendemos a desaprender. Desaprendemos o brasileirismo escravizante, o “malazartismo”, o “macunaimismo”, o pessimismo de Drummond, a promiscuidade de Vinícius (o amor não é eterno enquanto dura, é eterno porque escolhemos que ele seja), desaprendemos a ser família à moda de Nelson Rodrigues, ou a ser corruptos.

Aprendemos a ser brasileiros sem ser brasileiros. Como uma lagarta que sai do casulo, saímos da casca velha e bolorenta para nos tornarmos quem devemos ser: brasileiros do reino, para os quais a brasilidade não é a principal identidade e referência, mas a Palavra de Deus. A brasilidade é um dom que levaremos ao trono, devidamente domesticado pelos valores daquele que nos amou primeiro. A igreja morta fala a mesma língua do mundo a seu redor. Temos que falar a língua do reino.

Estou feliz enquanto me “desbrasileiro”. Feliz “desbrasileiramento” para você também.

Bráulia Ribeiro

Artigo publicado na edição atual da revista Ultimato (nº 334).

Bráulia Ribeiro trabalhou na Amazônia durante trinta anos. Hoje mora em Kailua-Kona, no Havaí, com sua família e está envolvida em projetos internacionais de desenvolvimento na Ásia. É autora de Chamado Radical

Fonte: www.ultimato.com.br via Operação Resgate

A fabulosa vida de um adolescente II


Brett Harris dá sequência à série "A fabulosa vida de um adolescente", desconstruindo os  mitos que cercam a vida dos jovens.





quarta-feira, 28 de março de 2012

Pedido de desculpas

 
Olá, pessoal.
 
Eu, JT, venho aqui neste post pedir desculpa a vocês, leitores do blog, por uma falha cometida por mim ao publicar o post Nome dos anjos, em fevereiro. Todo o texto daquele post eu recebi por email, semanas antes de publicá-lo aqui. Nada ali é de minha autoria. Ao ler tal texto no email, e mesmo enquanto preparava o post, não notei a presença de um trecho de mal gosto, que soava até como piada suja: era no suposto nome de anjo "Chanel", que vinha acompanhado de algo que dizia mais ou menos "protetor dos boiolas".
 
Peço desculpas, por deixado passar isso. Só vim perceber uns dois ou três dias depois de publicado, pois tenho o costume de, às vezes, reler os próprios posts que publico (nos vários blogs de que participo) para procurar erros que passaram despercebidos na hora da redação do post. O Gonzaga também não deve ter percebido a falha! Mas, após notar o problema, removi o trecho de mal gosto, e agora o post se encontra "limpo".
 
Perdão pela falha – peço mais uma vez. E alerto para que vocês interajam mais com o blog comentando e alertando sobre coisas desse tipo, OK?
 
Um leitor chegou a comentar lá no post que não achou bom usar o nome de anjos para "algo negativo". Não concordo, entretanto, que os anjos lá (na segunda lista de nomes e funções deles) estão sendo associados a coisas negativas. Trata-se de um humor besteirol. Vejam, por exemplo, os nomes dos supostos anjos Gel e Pastel. São pura brincadeira tola!
 
 

terça-feira, 27 de março de 2012

Revolução Cultural



Ed René Kivitz

Acabo de ouvir Zigmunt Bauman por 30 minutos, em entrevista concedida a Sílio Boccanera, para o Programa Milêmio, da GloboNews. Dos interessantes comentários a respeito do que Bauman chama de “revolução cultural”, tive alguns insights.

Na verdade, dois. E ambos parafraseando o “penso, logo existo” de Descartes. Vivemos dias de “devo, logo existo”. Bauman disse que na sociedade capitalista quem não consome, não existe. Deixamos para trás a caderneta de poupança: “consiga o dinheiro e compre o que que quiser”, e migramos para o cartão de crédito: “compre o que quiser e depois consiga o dinheiro para pagar”. O resultado dessa mudança de paradigma de consumo é a dívida. Mudou o ditado. Antes se dizia “quem não deve, não teme”, hoje se diz “quem não deve, não existe”, pois quem não deve não interessa aos donos do crédito. E quem não interessa aos donos do crédito está alijado da sociedade.

Além de “devo, logo existo”, vivemos dias de “sou visto, logo existo”. Essa é a versão imposta pela tirania das redes sociais. Quem não tem twitter, blog, facebook está fora do horizonte de convívio social, cada vez mais virtual. A vida on-line substituiu a vida off-line. Vai crescendo o número de pessoas que deixam de existir assim que fecham seus computadores e desligam seus smartphones. Aliás, o mundo vai se enchendo de gente que jamais fecha o computador ou desliga o smartphone. Apavoradas com a possibilidades de não serem vistas, isto é, não receber comentários e recados no facebook, e não ver sua coluna de mentions do twitter crescer, as pessoas temem deixar de existir.

E Bauman conclui como somente os sábios: “não tenho capacidade nem conhecimento para avaliar o que isso significa nem como vai ser o futuro”. A entrevista se encerra com Bauman encolhendo os ombros e virando os beiços como quem diz “e agora, José?”.

Fonte:  Genizah via Cristão Confuso

quarta-feira, 21 de março de 2012

O problema humano

 
O coração do problema humano é o problema do coração humano.
 
John Stott
 
 

Para nossa alegria: ressignificando uma música

Ressignificando uma música, ou como destruir uma canção em um único post. A receita é fácil: reúna a familía, pegue seu violão recém adquirido, ligue a câmera e, pronto, a desgraça está feita. Mas não que tenha ficado ruim. Ficou MUITO ruim! Duvida? Então prepare seus ouvidos, e Jesus nos acuda.


quinta-feira, 15 de março de 2012

América Celebra a Chespirito



Olá, pessoas. Ultimamente tenho estado em uma correria só, e sem tempo para postar, mas hoje arranjei um tempinho para compartilhar com vocês a belíssima homenagem ao genial e querido Roberto Gomez Bolaños, ou, como nós o conhecemos, o nosso querido Chaves do oito. Foram 3 meses de preparação, com concursos de imitadores, e de quem sabe mais sobre o CHAVES, coreografias gigantes, depoimentos e mais uma série de homenagens; 17 países envolvidos e vários artistas convidados no que culminou em uma celebração ao gênio de Bolanõs ou, como é conhecido em toda a América, Chespirito (nome cujo significado é pequeno Shakespeare, devido a sua incrível capacidade de escrever, desde peças de teatro, cinema, TV etc.).




No último dia 29 de fevereiro a América latina se rendeu ao carisma e talento de seu maior comediante, no especial “América celebra Chespirito”, uma homenagem ao ator, diretor, escritor e ao homem, Roberto Gomes Bolaño. Foram 40 anos dos personagens mágicos como Chaves, Chapolin e tantos outros. E aos 83 anos, e bem debilitado, Bolaños ficou apenas uma hora e meia na festa em sua homenagem, acompanhado da esposa Florinda Meza (a Dona Florinda), de filhos e companheiros do elenco, ao lado de quem posou para uma foto rara destes personagens que aprendemos a amar, como, por exemplo, Edgar Vivar (Senhor Barriga) e Ruben Aguirre (Professor Girafales). Bolaños se emocionou com tudo o que viu, e com o carinho que recebeu de jovens, crianças e adultos que de alguma forma participaram desta magnífica homenagem promovida pela rede de TV Televisa. Ele saiu da festa direto para o hospital em uma ambulância, devido ao seu estado de saúde delicado e às fortes emoções que sentiu.

A festa durou cerca de 6 horas e só não foi completa devido a ausência de Carlos Villagrán (o Quico) e Maria Antonieta de las Nieves (a Chiquinha), que devido a antigas desavenças, romperam relações com Bolaños. Entretanto o que se viu nas homenagens a Bolaños foi a imagem de uma turma unida: Chaves, Chiquinha, Kiko, Dona Florinda, Prof. Girafales..., os quais já entraram para o imaginário popular com um humor inocente e simples que conquistou e ainda continua a conquistar geração após geração, pessoas de toas as idades, em todos os cantos do mundo, mostrando a todos que é possível fazer rir sem precisar de apelação ou piadas de duplo sentido, mas com genialidade e a simplicidade das coisas rotineiras da vida, afinal, com Bolaños aprendemos como é gostoso olhar para uma pequena vila e de cara nos apaixonarmos por sua gente simples e feliz, que de alguma forma inexplicável tem feito muita gente sorrir.




"Gracias, Bolaños, por tudo e para sempre, por dar-nos tantos momentos felizes". Eu me lembro que mesmo quando minha mãe já não mais enxergava, mesmo assim ela pedia para ouvir o Chaves. Então eu aumentava o som da TV e sorríamos juntos. Eram momentos mágicos, momentos em que esquecíamos a doença, a dor, e simplesmente ríamos. Ela não mais enxergava, não mais com os olhos, mas de alguma forma eu sabia que ela enxergava cada episódio com o coração. Então “Gracias” por tantas recordações, tanto carinho e por dar-nos estes momentos tão felizes e inesquecíveis.



ggggg

sábado, 10 de março de 2012

As Mulheres da Bíblia em Cordel

Encerrando a semana da mulher, encontrei este belíssimo cordel, sobre as grandes mulheres da Bíblia, uma homenagem a todas as mulheres do mundo, no melhor estilo nordestino.


 

sexta-feira, 9 de março de 2012

AFTER EDEN: Maus sonhos

 
 AFTER EDEN
 
 
TRADUÇÃO DA LEGENDA:
Após ter sido expulso do Éden, Adão acordou esperando que a queda tivesse sido só um sonho ruim, mas logo lembrou-se de que não haviam sonhos ruins antes da queda.
 
 
Publicado aqui sob a autorização de Dan Lietha (AFTER EDEN).
Agradecimentos a Martin Erwin (Christian Cartoons).
 
Tradução por Mural na Net.
 
 

Mulher acorrentada

 
Somente ontem à noite, ao ver os telejornais falando do Dia Internacional da Mulher, vim me lembrar dessa música do Tears for Fears, a belíssima Woman in chains, e de que bem que poderia tê-la postado aqui no blog. Mas, ainda em tempo, aqui vai ela e com legendas em português.
 
 
 
 
 

quinta-feira, 8 de março de 2012

Mulher tem que obedecer ao marido

 
Navegando no blog A hora do Leite encontrei essa charge aí e achei oportuno publicá-la aqui em razão da passagem de mais um Dia Internacional da Mulher.
 
 
 
 
 

quarta-feira, 7 de março de 2012

Testemunho de Gyeong Joo Son

Este vídeo é uma dica do meu amigo Zé Bruno. Trata-se do testemunho da jovem norte-coreana Gyeong Joo Son. Com apenas 17 anos ela decidiu responder ao chamado de Marcos 16:15 "E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura".

Vou para a Coréia do Norte expressar o amor de meu Deus, honrar o sangue de meu pai e o de meu irmão, Jesus Cristo.

Sua convicção é inacreditável, sua fé admirável e seu exemplo edificante. Chorei ao ouvir seu testemunho, e fiquei pensando o quanto tenho sido omisso e indiferente com meu Senhor e com aqueles que estão sofrendo. Gyeong Joo Son chora durante seu testemunho, mas não pela perda de sua família; ela chora pelo povo norte-coreano, que ainda desconhece o incomparável amor de Deus.

Gostaria de pedir que você parasse por nove minutos, para ouvir o estrondoso poder do verdadeiro evangelho da prosperidade, o evangelho que derrama laágrimas pelas vidas não alcançadas. Deus a abençoe, Gyeong  Joo. Sua voz ecou e ecoará muito além da Coreia.




Ao ouvir Gyeong Joo Son eu lembrei-me da canção “Make My Life A Prayer To You” de um outro gigante da fé, Keith Green, e pensei, depois de um grande exemplo, nada melhor que uma canção à altura. Com vocês “Faz de minha vida uma oração a Ti”. Que Deus abençoe a todos vocês. E, por favor, ouçam e compartilhem.





Faz de minha vida uma oração a Ti

Faz de minha vida uma oração a Ti
Quero fazer a tua vontade para mim
Sem palavras vazias e sem mentiras piedosas
Nenhuma oração simbólicas ou sem compromisso

Quero brilhar com a luz que me destes
Através de Seu Filho que enviastes para nos salvar
De nós mesmos e nosso desespero
conforta-me saber que Tu estás realmente ali

Refrão:
Bem, eu quero agradecer a Ti agora
Por ser paciente comigo
Ah, é tão difícil de ver
Quando meus olhos estão somente sobre mim
Penso que vou ter que confiar
E só acreditar no que Tu dizes
Oh Tu estás vindo novamente
Vindo para levar-me

Quero morrer e deixar
Tu dá-me a tua vida para que eu possa viver
E partilha a esperança que me destes,
O amor que me faz livre

Eu quero dizer ao mundo lá fora
Que Tu não és um conto de fadas ou fábula
Que eu criei dentro da minha mente
Tu és o Deus, o Filho que ressuscitou dos mortos

Refrão


terça-feira, 6 de março de 2012

Fanáticos ou defensores da verdade?

 
Devocional do mês de fevereiro do site da Editora Fiel. Está perfeitamente dentro do contexto em que temos vivido.
 
 
por John Kennedy
 
Homem com megafone [Ambroz em RGBStcock.com] Em tempos como o nosso é fácil alguém parecer fanático, se mantém uma firme convicção sobre a verdade e quando se mostra cuidadoso em ter certeza de que sua esperança procede do céu. Nenhum crente pode ser fiel e verdadeiro nesses dias, sem que o mundo lhe atribua a alcunha de fanático. Mas o crente deve suportar esse título. É uma marca de honra, embora a sua intenção seja envergonhar. É um nome que comprova estar o crente vinculado ao grupo de pessoas das quais o mundo não era digno, mas que, enfrentando a ignomínia por parte do mundo, fizeram mais em benefício deste do que todos aqueles que viviam ao seu redor. O mundo sempre sofre por causa dos homens que honra. Os homens que trazem misericórdia ao mundo são os que ele odeia.
 
Sim! Os antigos reformadores eram homens fanáticos em sua época. E foi bom para o mundo eles terem sido assim. Estavam dispostos a morrer, mas não comprometeriam a verdade. Submeter-se-iam a tudo por motivo de consciência, mas em nada se sujeitariam aos déspotas. Sofreriam e morreriam, mas temiam o pecado. Esse fanatismo trouxe liberdade para a sua própria terra natal, como bem demonstra o exemplo dos reformadores escoceses. O legado deixado por esses homens - cujo lar eram as cavernas na montanha e cuja única mortalha era a neve, que com freqüência envolvia seus corpos quando morriam por Cristo - é uma dádiva mais preciosa do que todas as oferecidas por reis que ocuparam o trono de seus países ou por todos os nobres e burgueses que possuíam suas terras. Sim, eles eram realmente fanáticos, na opinião dos zombadores cépticos e perseguidores cruéis; e toda a lenha com a qual estes poderiam atear fogueiras não seria capaz de queimar o fanatismo desses homens de fé.
 
 
 
Imagem de Ambroz em RGB Stock
 
 

Pesquisa revela 9 profissões do futuro

 
Uma pesquisa da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) descobriu que a maioria das empresas brasileiras pretende contratar mais funcionários nos próximos anos. As vagas abertas revelam quais são as profissões do futuro. Todas têm ligação com engenharia, automação e conhecimentos de informática.
 
São elas:
  1. Supervisor de Produção em Indústrias de Transformação
  2. Engenheiro de Petróleo
  3. Técnico em Sistema de Informação
  4. Trabalhador de Tratamento de Superfície de Metais e Compósitos
  5. Engenheiro de Mobilidade
  6. Técnicos em Mecatrônica
  7. Biotecnologista
  8. Engenheiro Ambiental e Engenheiro Sanitárista
  9. Desenhistas Técnicos em Eletricidade, Eletrônica e Eletromecânica
 
Leia a matéria completa e os detalhes das atribuições de cada uma das área acima CLICANDO AQUI.
 
 

segunda-feira, 5 de março de 2012

Joyful 'toon: Guarde seu coração

 
Joyful 'toon número 173, o mais recente.
 
              
   Joyful 'toon 173_Guard your heart PT.BR
 
 
 Comentário do autor:
Há um monte de coisas neste mundo que podem poluir nossos corações e mentes. Devemos proteger nossos corações contra estas coisas porque se elas entrarem lá, entrarão em nosso vidas.
 
 
Publicado aqui sob a autorização de Mike Waters (Joyful 'toons).
 
Versão em português produzida pelo próprio autor com o auxílio de tradução do Mural na Net.
 
 

sexta-feira, 2 de março de 2012

AFTER EDEN: Procurando por uma parceira

 
 AFTER EDEN
 
 
TRADUÇÃO:
Adão: Eu sei que parece que não há ninguém no mundo para você, mas não desista. Quando eu comecei a procurar por uma esposa não havia mais ninguém nesse mundo.
 
Legenda: O primeiro homem, Adão, podia encorajar solteiros como ninguém mais seria capaz na história!
 
 
Publicado aqui sob a autorização de Dan Lietha (AFTER EDEN).
Agradecimentos a Martin Erwin (Christian Cartoons).
 
Tradução por Mural na Net.
 
 

quinta-feira, 1 de março de 2012

Debate sobre evolucionismo

 
O vídeo abaixo é do programa Diálogos Impertinentes, transmitido pela SESC TV, onde foi discutido o evolucionismo evoILUSIONSIMO. Defendeu o ponto de vista evolucionista evoILUSIONISTA o zoólogo Mário Cesar Cardoso de Pinna, e o ponto de vista criacionista o geólogo Nahor Neves de Souza Júnior, ambos pessoas do meio acadêmico, ou seja, pesquisadores e professores no meio universitário.
 
Interessante que você assista para ver algumas das sérias objeções que existem à essa teoria de Darwin.
 
 
 
 
Links para as outras partes: parte 2, parte 3, parte 4, parte 5, parte 6, parte 7, parte 8, parte 9 e parte 10. Um outra conversa/debate com estas mesmas pessoas, o Márcio e o Nahor, ocorreu no programa Entre Aspas da Globo News.
 
Se não quiser assistir tudo on line, baixe os vídeos usando o site Keep Vid.
 
 
Related Posts with Thumbnails