quarta-feira, 18 de julho de 2012

O que torna uma música evangélica, ou porque só escuto música cristã.




Por Gonzaga Soares

Você já deve está cansado de ouvir este tema, mas quando acho que isto é discursão antiga, deparo-me com pessoas sinceras que me perguntam angustiadas:

 - O cristão só deve ouvir música evangélica?
    Minha resposta é direta, SIM e NÂO!
    Como assim, sim e não?

É muito simples, a minha resposta depende do que você compreende como música evangélica. Pense comigo, se você acredita que música  evangélica são estas que tocam nas emissoras gospel, feitas para alimentar o crescente MERCADO GOSPEL, eu direi não, eu não escuto e nem recomendo que você escute  música “evangélica”.

 Agora se você me falar que compreende como música evangélica, canções que transmitem as verdades do reino eu te direi SIM, eu só escuto música evangélica e você deveria fazer o mesmo.
Ora como você pode ver, é tudo uma questão de compreensão do que entendemos como música secular e música evangélica. Não classifico as canções que escuto, como seculares ou gospel ( lembrando que gospel refere-se ao modo como classificamos as canções evangélicas no Brasil e não ao estilo norte americano), mas sim como boa música e musica ruim.

Ora, então o que torna uma música “EVANGELICA”? Na verdade nada, música é uma expressão do homem, e esta reflete sua relação com Deus, amigos, família, vida, sonhos, etc. No entanto no meio cristão criou-se uma dicotomia musical, que nos foi introduzida por nossos antepassados, e logo dividimos as músicas em seculares e evangélicas. Mas enfim o que torna uma canção secular ou gospel? Não entrarei em detalhes das diversas  opiniões ou conceitos que tenho visto por ai do que seria música gospel, portanto partirei direto para a minha compreensão do que considero música gospel.

Não é porque uma canção traz o nome Deus ou Senhor, Senhor, ou mesmo porque o seu interprete é cristão que esta torna-se evangélica, mas sim,  a mensagem do reino que esta transmite.

  A parti deste critério, tudo torna-se mais simples, e fica bem mais fácil definir música gospel de música secular.  Vejamos alguns exemplos de canções do reino, canções que transmitem a mensagem do evangelho, mas que por ignorância, boa parte dos cristãos as ignoram totalmente.
Na canção “ O que é o que é” de Gonzaguinha, ele declara:

Viver! E não ter a vergonha. De ser feliz
Cantar e cantar e cantar. A beleza de ser
Um eterno aprendiz...
Ah meu Deus!
Eu sei, eu sei. Que a vida devia ser
Bem melhor e será. Mas isso não impede
Que eu repita. É bonita, é bonita
E é bonita.

O que é o que é, é uma das mais belas canções do reino que conheço, na letra o autor fala da beleza de aprender a cada dia, sem envergonha-se desta eterna condição de aprendiz, a letra mostra alguém que está em constante crescimento e que não se envergonha da felicidade diária, que se alegra com o que a  sua momentânea vida lhe oferece;  e continua afirmando sua esperança em um futuro melhor, ainda que a vida seja repleta de imperfeições e injustiças,  isto não o impede que ele a celebre e por isso repete a resposta das crianças...

É bonita é bonita e é bonita!
Outra bela canção do reino vem da poesia de Marisa monte, na canção vilarejo:
Há um vilarejo ali

Onde areja um vento bom

Na varanda, quem descansa
Vê o horizonte deitar no chão

Pra acalmar o coração

Lá o mundo tem razão

Terra de heróis, lares de mãe
Paraiso se mudou para lá...

Em todas as mesas, pão

Flores enfeitando

Os caminhos, os vestidos, os destinos
E essa canção

Tem um verdadeiro amor

Para quando você for

A letra de Vilarejo, dispensa comentários, sempre que a escuto, penso no paraíso, na Terra como Deus a criou originalmente, penso na esperança que nos aguarda em um  lugar onde sopra um vento bom, sem fome ou dores, onde sempre é primavera, uma terra de heróis que venceram muitas batalhas e agora desfrutam de uma paz singular, onde cabem todos os povos, um lugar de abundância e beleza indescritível e onde nos espera o Verdadeiro Amor, o amor do nosso Criador.

Agora responda, se estas canções são ou não cristãs? Sua mensagem é a mensagem do reino? O evangelho puro e simples de Jesus Cristo?

Em contra partida temos muitas músicas, que são cantadas a exaustão em nossos templos, e feitas por pessoas cristãs, mas cuja mensagem contraria a mensagem do evangelho. Vejamos alguns exemplos:

A canção “ Sabor de mel”, da cantora Damares:

Deus vai te levantar das cinzas e do pó
Deus vai cumprir tudo que tem te prometido
Você vai ver a mão de Deus te exaltar
Quem te vê há de falar
Ele é mesmo o escolhido...

Quem te viu passar na prova
E não te ajudou
Quando ver você na benção
Vão se arrepender
Vai estar entre a plateia
E você no palco...

Tem sabor de mel
Tem sabor de mel
A minha vitória hoje
Tem sabor de mel...

Ora, basta ouvir uma estrofe desta canção que sinto asco, a letra é totalmente focada no egocentrismo, e no triunfalismo, a canção é voltada  essencialmente ao individuo, e quando sai desta linha cai em algo mais perigoso ainda o sentimento exagerado de triunfo, a letra é de um egoísmo absurdo. Deus não passa de uma fonte, capaz de liberar bênçãos, para alimentar o ego doentio de seus supostos adoradores. E o que mais me desagrada nesta canção é o sentimento de  vingança que ela desperta. 

Quem me viu passar pela prova e não me ajudou...
Vai se arrepender...

Egocentrismo, triunfalismo, raiva, vingança, definitivamente, não são atributos de um cidadão do reino. Este não é o evangelho do filho do homem, não mesmo. Ou você acredita que são?

Grande parte do que se canta hoje nos púlpitos do Brasil, são canções voltadas para o eu, e existem aquelas que vão além e desfasem o evangelho de Cristo.

Na letra de  “Jesus me chamou e eu não atendi”  de  Senivalda Menezes, lemos:

Quem não vem por amor, vem pela dor
Mais é pela dor que estou aqui
Exaltando o santo nome do Senhor...

Ora, tudo foi por amor, por amor Deus entregou seu filho e por amor Cristo entregou-se a cruz, em 2 Coríntios 5: 14,15 lemos:

 "Pois o amor de Cristo nos constrange, porque estamos convencidos de que um morreu por todos; logo, todos morreram. E ele morreu por todos para que aqueles que vivem já não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.”

A dor é uma consequência de um mundo caído, mas nunca foi e nunca será motivo para ninguém aceitar a Cristo, aqueles que supostamente aceitam a Cristo pela dor, não buscam o abençoador, mas a benção que este pode lhes oferecer, o alivio para a sua dor. A letra fere a verdade do evangelho e portanto destoa da mensagem do reino .

Uma outra canção muito executada em nosso meio  é “O Melhor de Deus Está Por Vir” de Kleber Lucas.

As eiras se encherão de trigo..houooo

E os lagares transbordarão

De óleo e vinho

Restituirei os anos

Que foram consumidos

O melhor de Deus ainda está por vir...

Mais uma vez há ênfase nas bênçãos em detrimento do abençoador, mas o que realmente não dar para cantar é afirma o já consagrado chavão evangélico   “o melhor de Deus ainda está por vir”, ora, talvez você diga que estou sendo radical, que os irmãos falam isto esperando o dia em que estarão com o Pai, e se assim o fosse, eu seria o primeiro a proclamar isto, mas não é verdade, basta observa o contexto em que esta frase aparece e logo descobriremos que  “o melhor de Deus” que é cantado é simplesmente a ausência das tribulações e a tão sonhada prosperidade. 
E só para ficar claro, o melhor de Deus já veio, lembra de Jo 3:16, basta uma rápida revisão nas escrituras e saberemos que sim, o melhor de Deus já veio, Jesus Cristo o nosso Salvador.

Agora me responda sinceramente, quais dessas músicas são evangélicas? Quais transmitem a mensagem de Cristo? As canções de Gonzaguinha e Marisa Monte ou as canções de Damares, Senivalda Menezes e Kleber Lucas?

Quando deparo-me com este paradoxo, penso no que disse o mestre, “se estes se calarem, as pedras clamarão”;Seria este um clamor das pedras?

Portanto a resposta definitiva  para a questão inicial é sim, o cristão só deve escutar músicas evangélicas, então não se escandalizem se ao me  encontrarem, eu esteja louvando a Deus, ou simplesmente curtindo uma boa música ao som de Luiz Gonzaga, Zé Ramalho, Mercedes Sosa, U2 e tantos outros.

E antes que você me questione sobre músicas seculares profanas ou imorais, digo-lhes:

O critério para se ouvir música é o reino de Deus e sua mensagem, qualquer canção que contrarie esta mensagem deve ser desprezada, seja ela uma canção secular ou uma canção gospel, cabe aqui o conselho de Paulo  aos colossenses “...mas ponde tudo à prova, retende o que é bom; “

E claro o meio cristão, tem uma grande quantidade de bons músicos, fazendo musica devocional com qualidade e respeito, a Deus, as escrituras e aos nossos ouvidos. Fica aqui a dica para seus momentos a sós com Deus, canções de Logos, João Alexandre, VPC, Gerson Borges, palavrantiga e tantos outros. 


Um forte abraço e fiquem na paz.

4 comentários:

Jeile disse...

Pois é, Gonzaga! Ultimamente tenho pensando muito nessa questão. Outro dia ouvi a pregação de um evangelista sobre canções cristocêntricas e antropocêntricas. Muitas igrejas esqueceram os hinos de adoração e acham que eles são "frios". Mas quando alguém canta um hino como "Sabor de mel" muita gente se alegra. Tenho priorizado músicas de adoração a Deus, Ele é o centro, Ele é quem tem que ser adorado. Um adorador tem vida com Deus e suas músicas são inspiradas no caráter de Deus e em sua personalidade. Parabéns pelo texto.

ThiagBrucks disse...

Ótimo texto. Muito bem argumentado. Eu tenho um pensamento bem parecido. Sempre disse: Música evangélica é a que diz respeito ao evangelho de Jesus Cristo. Então se uma música exalta a alegria e a comunhão dos irmãos, ela é evangélica. Mas não diz respeito ao estilo da música, mas à cosmovisão.

Tenho que discordar sobre a repulsa contra músicas que falem sobre as bençãos do Senhor. Aquele termo "O melhor de Deus ainda está por vir" é inadequado, mas acredito que se a mensagem for colocada de maneira correta, o tema não vai de encontro ao reino. A não ser que as bençãos sejam colocadas como objeto principal do cristão.

Enfim, é a minha leiga opinião. Fica na paz.

miriele disse...

Parabéns Tio!!!Concordo com você,esse Seu pensamento é bem parecido com o meu. Seu texto é sucinto e tem exemplos muito bem colocados explicando claramente.

Pedro disse...

As vezes quando estou cantando louvores em meu tempo pessoal de adoração eu fico me perguntando, buscando na mente um hino que adore a Deus, que o exalte pelo que ele é, sem ter a palavra "eu" ou derivados no meio, mas simplesmente acho a tarefa muito difícil.

Related Posts with Thumbnails