terça-feira, 29 de julho de 2008

Se quiser falar com Deus

 
Quando quiser falar com Deus, lembre-se...
 
1°) pensar que vale mais a oração de muitas pessoas do que a de uma só. "A oração de um justo...", diz Tiago (5.16);

2°) pensar que vale mais a oração de 1 hora do que a oração de 1 minuto. Não é pelo muito falar que seremos ouvidos (Mt 6.7); leia a oração de Elias em 1Re 18.36-37 e conte os segundos que foram necessários para Elias fazê-la;

3°) pensar que vale mais a oração feita de madrugada do que a que é feita em qualquer outra hora. Que base bíblica existe para se pensar assim?;

4°) promover "corrente de oração" imaginando que oração assim feita terá mais força diante de Deus;

5°) promover "plantão de oração" como se esse fosse um meio seguro para sermos atendidos. Essas práticas são como os modernos "lobbies" que muitas pessoas fazem em torno de governantes e políticos para os pressionarem e reivindicarem algo que desejam.

6°) É errado e muito comum, dizer-se que alguém “precisa de nossas orações". Não! Nós é que precisamos orar e ser solidários com tal pessoa em sua necessidade; Deus está atento às necessidades dessa pessoa!;

7°) supor que alguma posição do corpo tornará oração mais eficaz, como orar ajoelhado, ou de olhos fechados, ou prostrado, ou de mãos erguidas;

8°) pensar que a oração feita em alta voz será ouvida por Deus (Deus não é surdo);

9°) pensar que ''vigília'' feita por um ou por muitos irmãos, uma noite inteira, certamente moverá Deus e O convencerá a atender-nos. Nada disso tem base bíblica! Não existe "oração forte ou poderosa", nem "pessoa poderosa na oração"; tudo isso é crença e prática pagã.

Porventura temos nós "direitos adquiridos" para reivindicá-los ou exigi-los de Deus? Embora não exista base bíblica real, segura, para tais disparates, há muitas pessoas no meio evangélico ensinando-os, inclusive insinuando-se como sendo elas as pessoas que podem conseguir tudo de Deus. Muitas vezes são charlatães e não só pessoas incultas e mal instruídas. Usam até a oração para promoção pessoal, e exploração!

Certamente uma pessoa pode orar sozinha ou com um grupo de mil pessoas, se quiser; pode orar quanto tempo quiser, a qualquer hora do dia ou da noite; pode convocar a igreja ou o povo para orar; pode orar ajoelhada ou prostrada com a cabeça tocando o chão, ou com as mãos erguidas, mas não deve pensar que isso se tomará em um clamor irresistível, eficiente e agradável a Deus; ela pode gritar (se estiver sozinha), chorar ou emocionar-se profundamente, mas não deve pensar que por isso Deus a atenderá. Devemos ser autênticos na oração. Deus nos dá liberdade para falarmos individualmente ou coletivamente com Ele, mas não nos autoriza a pensar que poderemos mudar a Sua vontade. Leia-se Ml 3.6 e Tg 1.17.

Práticas erradas, de inspiração pagã, nos afastam de Deus. Não ore como oraram os profetas de Baal. Siga o ensino simples e claro de Cristo em Mt 6.5-13; atente para Is 42.1-2 e 8.

Não caia na armadilha de um "outro evangelho" antropocêntrico, humanista, oposto ao Evangelho, que é Cristocêntrico. Rejeite tudo o que não tem claro e explícito fundamento bíblico. Tenha uma fé sadia, doutrinariamente correta. "Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina” - 1Tm 4.16.

Fonte: Rubens Osório via Fraternus (com modificações na estrutura do post original)

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails