sábado, 31 de outubro de 2009

E hoje é dia da reforma protestante



Em
meio às festas e comemorações do Halloween uma data passa despercebida pela maioria de nós cristãos. Há exatamente 492 anos o monge Martinho Lutero afixou suas 95 teses na porta do Castelo de Wittenberg, na Alemanha, dando início ao movimento que ficou conhecido como A Reforma Protestante.

Chega a ser assustador o quase esquecimento da data por aqueles que se dizem herdeiros deste movimento. A impressão que se tem é que desconhecemos totalmente a nossa história ou, pior, ignoramos totalmente as nossas raízes. Em tempos de apóstolos, levitas e profetas pós modernos a nossa história é esquecida e até, pasmem, repudiada por estes pseudorepresentantes de Deus.


Cabe a nós cristão resgatarmos esta data e passar para as gerações futuras a importância de tal movimento. Então, ao invés de perdemos tempo debatendo sobre Halloween, ensinemos as nossas crianças e jovens a importância desta data.

Você quer saber mais sobre a reforma protestante? Então clica no link a seguir.

Dia da Reforma Protestante - Wikipédia, a enciclopédia livre

Red Remover

Um jogo muito legal e simples onde você deve clicar sobre peças pra removê-las da tela.
 
 
Red Remover
 
 
As primeiras fases do jogo são auto-explicativas, ensinando como tudo funciona, mas, se você não fala inglês, vamos resumir as regras:
 
1. Peças vermelhas (roseadas, na verdade) são miseráveis! Remova-as clicando nelas;
2. Peças vermelhas mesmo são fortes. Você não pode removê-las. Faça-as cair no fundo da tela (removendo o que as suporta);
3. Peças verdes são amáveis. Mantenha-as na tela!
4. Peças azuis são neutras. Tanto faz se elas ficam na tela ou não!
 
Mais um dica. Pelo que notei (jogando até a fase 10) se existirem plataformas (aquelas peças de duas cores: branco + azul, branco + rosa, por exemplo) contendo a cor verde, as peças verdes deverão terminar a fase em cima delas e as outras plataformas devem ser removidas. Portanto, se uma fase não terminar e você não souber o que tá faltando, é porque provavelmente deveria ter deixado a(s) peça(s) verde(s) sobre base(s) com a cor verde.
 
Clicando em Pause/Reset (canto inferior direito da tela), surgirão as opções: LVL Select (permite selecionar outro nível/fase); Reset LVL (faz o nível voltar pro começo) e Resume (reinicia o jogo pausado). Se o jogo mostrar a mensagem Fail!, clique em Try Again para jogar a mesma fase de novo.
 
 
Boa diversão!

Planeta Orgânico

As verduras, frutas e legumes que estão em nossas mesas todos os dias estão infestados de agrotóxicos e sabe lá Deus mais o quê, além do perigo (?) de ainda poderem ser transgênicos. Assim, já não é mais saudável comer certas frutas ou legumes com a sua respectiva casca, pois certamente, mesmo depois de lavados, essas partes ainda conservarão resquícios de agrotóxicos.
 
Como alternativa aos produtos envenenados existem os produtos orgânicos. E eles têm um site dedicado ao assunto, o Planeta Orgânico, onde você fica sabendo mais sobre agroecologia, pecuária orgânica, dicas de consumo, legislações e encontra trabalhos de pesquisa não só na área de orgânicos mas também em área ligadas à mesma.
 
 
Conheça os 17 alimentos brasileiros mais contaminados por agrotóxico.
 
 
Para esclarecer o embate produtos orgânicos x produtos comuns o Planeta Orgânico apresenta um vídeo adaptado do original, em inglês, mas com legendas em português, que faz uma paródia do Star Wars chamada Store Wars (Guerra nas Lojas). No vídeo, Obi Wan KenObi é Obi Wan Canoli e Mestre Yoda é Mestre Yogurt só pra citar uns exemplos. :-)))
 
 
Store Wars image

Cartaz do Store Wars

Uma das telas do vídeo. Clique na imagem para assistir.

 
 
O Planeta Orgânico tem até seções mostrando quem produz, quem certifica, quem vende produtos orgânicos no Brasil e também uma lista de restaurantes que utilizam produtos orgânicos, separados por estado/cidade.
 
É uma coisa da qual vale a pena se inteirar, viu?!!
 
Pra finalizar, clique no Continue lendo e veja algumas dicas de Como diminuir os resíduos de agrotóxicos em sua alimentação extraídas do Planeta Orgânico.
 
1. Lave legumes, verduras e frutas numa solução suave de detergente e água pura ou em mistura de água e vinagre. Deixe-os de molho de 15 a 20 minutos e enxague-os cuidadosamente.
 
2. Em alguns casos, frutas e legumes podem receber uma camada de cera para que não percam a umidade e murchem. Esta cera também contém substâncias fungicidas e bactericidas para evitar o aparecimento fungos e de bactérias. Ex.: maçãs, pimentões, berinjelas, grapefruits (toranjas), melões, nectarinas, pêssegos, etc.. Para eliminá-la, sempre que possível, descasque legumes e frutas. Você perderá algumas vitaminas contidas na casca, mas em compensação terá uma alimentação mais segura.
 
3. Procure usar sempre legumes, verduras e frutas da safra, pois possuirão menos defensivos e hormônios.
 
4. Legumes muito grandes, produzidos convencionalmente, podem ser resultado de adubação e estimulantes artificiais.
 
5. Dê preferência aos produtos nacionais, ao invés dos importados. Frutas e legumes produzidos localmente não requerem tantos pesticidas como aqueles que percorrem longas distâncias e são armazenados por longos períodos de tempo.

6. Resíduos de pesticidas e outros produtos químicos tendem a se concentrar nos tecidos gordurosos dos animais. Diminuir seu consumo reduz a ingestão de agrotóxicos. Ao preparar qualquer vaca, carne, frango, porco, etc. procure retirar toda a gordura e pele. Escolha laticínios com baixo teor de gordura, prefira leite desnatado e queijos magros.
 
7. No Brasil, dentre os produtos agrícolas que mais recebem agrotóxicos, destacam-se o tomate, a batata inglesa, o morango e o mamão papaia. No caso da produção de uva Rubi e Itália, em São Paulo, são feitas até 40 aplicações de produtos químicos, da brotação até a colheita.
 
8. Os consumidores não devem parar de consumir frutas ou verduras; estas informações se destinam a levar maior conhecimento do que ocorre na produção de hortigranjeira e dar-lhe uma visão mais crítica ao escolher o que vai a sua mesa.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

AFTER EDEN: Antes da fofoca

AFTER EDEN_Before Gossip
 
 
Tradução:
Adão » Eva, posso te confiar um segredo?
Eva » Adão, nós somos as únicas duas pessoas no mundo. A quem mais eu iria contar?
Rodapé: Nos dias anteriores à fofoca ser algo possível.
 
 
Publicado aqui sob a autorização de Dan Lietha (AFTER EDEN).
Agradecimentos a Martin Erwin (Christian Cartoons).
 
Tradução por Mural na Net.

Vários livros em um

Se você pensou que estamos fazendo chover no molhado, isto é, que estamos nos referindo à bíblia, enganou-se! Falamos do Kindle, o armazenador de livros eletrônicos da Amazon, que está chegando por aqui em sua segunda versão.
 
Amazon Kindle [Shakata Ga Nai em Wikimidia Commons] O Kindle tem preço salgado e algumas incovenientes desvantagens/limitações; no entanto, ele tem concorrentes mais baratos! E um deles vai ser feito aqui no Brasil pela Braview.
 
A chegada dessas novas maravilhas tecnológicas vai ser uma boa pros que gostam de leitura… poder levar vários livros ao mesmo tempo em um pequeno espaço pra ler no ônibus, numa viagem etc..
 
Saiba mais lendo a matéria on line da revista Época: Um livro que não acaba. Lá são também apresentados os concorrentes do Kindle.
 
Eu, JT, ainda não li a matéria e, portanto, não sei a respeito, mas torço para que esses leitores de e-books permitam o armazenamento de textos da internet que venhamos a salvar no PC: matérias de revistas ou jornais on line e posts de blogues! Já vi em algum canto que o Kindle não permitirá isso.
 

Marcus Américo (Céu na Boca)

Ao publicar o post do Som do Mural anterior, falando da Carol Gualberto, citamos um opinião do Marcus Américo sobre a obra musical da cantora. Aí acontece que, enquanto buscava na net um site/blog do Marcus para por no link de seu nome, achei sua página no MySpace! E que surpresa agradável foi conhecer a música do Marcus! Confesso que gostei mais dele do que da Carol.
 
Assim como a da Carol, a música de Marcus é cheia de brasilidade e muito alegre. Umas duas músicas de sua página no MySpace – uma delas é “Antes que seque a flor” – têm uma batida bem nordestina tipo forró, baião… sei lá [não sei bem diferenciar um do outro. heheh].
 
 
Um pouco do Marcus (extraído do MySpace):
 
Marcus Américo - Céu na BocaVem de Niterói, RJ, o nosso Marcus Américo, nascido em 04 de março de 1967. O ambiente em casa traz um pano de fundo musical. A mãe passa a maior parte do tempo cantando. O pai canta na noite, em casas noturnas. O nome Marcus Américo lhe soa tão bem que é este seu nome artístico. A mãe, D. Geni, que freqüenta igreja evangélica, cria o filho por esse caminho, o que lhe confere um conhecimento de Deus no estilo Timóteo, jovem discípulo do apóstolo Paulo, nos primeiros anos da era cristã. Mas a decisão de andar com Deus, aquela individual, acontece aos nove anos de idade. Ronaldo, o irmão mais velho, exerce uma influência enorme sobre Américo, influência essa que se perpetua até os dias de hoje. “Deus fez de meu irmão um homem de muita sabedoria”, diz o nosso violonista. Aos oito aos, porém, seu contato com o violão já havia iniciado. À semelhança de Denize no teclado, Américo começa no violão clássico – mais tarde, aos onze anos. Seus pais queriam fazer dele um virtuose no instrumento (conseguiram). Marcus chega a estudar com o professor Ricardo Wagner e, já na adolescência, cultiva admiração por monstros da MPB, como Ivan Lins, Toquinho e – posteriormente – Djavan.
 
Acesse a página do Marcus no MySpace e saiba mais sobre sua vida e carreira, conheça suas influências musicais e os integrantes do Céu na Boca. E conheça, obviamente, a música!!
 
► Páginas do Marcus no MySpace: www.myspace.com/marcusamericoviolonista (onde estão as músicas – há 9 disponíveis lá) e www.myspace.com/marcusamerico (uma página mais pessoal)
 
► Página do Céu na Boca no MySpace: www.myspace.com/ceunaboca

E a Dilma não veio, véio!

Ela não pôde vir para a reunião da Umadene e participar dela ontem! A mulé tava em Bruxelas!!
 
Será que de última hora a esclareceram que reunião da assembleia da qual ela ouvir falar não era da Assembléia Legislativa, mas sim da igreja Assembleia de Deus, hein?  :-)))))
 
De qualquer forma, como disse um irmão no site da ADAlagoas.com.br, na notícia que comentava a maravilhosa providência divina triste ausência da ministra: “(…) a oração do justo ainda pode muito em seus efeitos”!

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

O que está por trás da Programação Neurolinguística?

Vi um texto dentro desse tema numa das revistas/sites de saúde que costumo acessar. A reportagem falava uso da ferramenta no combate aos vícios. Me interessei em saber mais sobre o assunto e aí achei um texto, praticamente um estudo, sobre o tema no CACP (que na verdade é a reprodução dum texto do Instituo Cristão de Pesquisas).
 
O estudo busca mostrar as coisas perniciosas embutidas na Programação Neurolinguística. Confira o início do artigo abaixo.
 
 
 
 
O sucesso não ocorre por acaso. O que é sucesso? O que é felicidade? O que é sorte? Por que algumas pessoas fazem sucesso na vida e outras não? Como alcançar o sucesso? Qual o segredo das pessoas bem-sucedidas? São perguntas como essa que a Programação Neurolingüistica – PNL, também conhecida como Ciência do Sucesso, tenta responder; seduzindo milhares de pessoas em todo o mundo, inclusive os cristãos evangélicos.

Segundo esse movimento, as técnicas ensinadas em seus cursos possibilita o aluno a aumentar sua capacidade cerebral e alcançar que realmente deseja na vida, ou seja, o sucesso. Dizem os seus mentores: “A vida que você leva foi criada por você, então é sempre possível transformá-la para melhor”, “O sucesso está em suas mãos”, “Há uma força especial dentro de você”, “Aprenda a usá-la em seu benefício”, “Ouse fazer e o poder lhe será dado”. E completam: “Você pode mudar sua vida. É simples, mas não é fácil, depende apenas de você”.

Entre todos os ensinamentos da Programação Neurolingüistica destacamos algo que nos parece central na discussão do tema. Segundo esse movimento, a palavra CRISE, em chinês, tem dois significados: “perigo” e “oportunidade”. É você quem escolhe qual significado adotará.
Exemplificam: “Quando você ouvir falar em crise, pense em tirar o S da palavra. Você terá a poderosa palavra CRIE, do verbo criar, ser criador. Ou coloque um traço vertical sobre o S, e logo você tem um cifrão Cri$e, traduzindo: “Crie dinheiro”, “prosperidade”, “sucesso”, enfim...”
Com esta base de ensino, a Programação Neurolingüistica tem-se destacado como o grande diferencial nos treinamentos de auto-ajuda oferecidos nas escolas, acampamentos, universidades e em empresas.

Temas de impacto, mas, em princípio, inofensivos, como: “melhore a sua memória”, “auto-estima”, “motivação”, “qualidade”, “competitividade”, “leitura dinâmica”, “trabalho em equipe”, “superação”, “sensibilização”, “desenvolvimento de empreendedores”, “aumente sua capacidade de aprendizagem”, “adaptação a ambientes de constantes mudanças”, “superação a situação de pressão”, “globalização”, “atendimento”, entre outros, ganham uma nova conotação seguindo por um caminho totalmente diferente do convencional.
 
Continue lendo no CACP ou no ICP.
 
Fotos de Sebastian Kaulitzki, Mitar Gavric e Andres Rodriguez, respectivamente, em 123 Royalty Free
 
 
 
Veja também:
O segredo do pensamento positivo [Matéria interessante da revista Superinteressante]

Sagrado (18º episódio): Espíritas

Com a tarefa de responder à questão/tema “Como cultivar a fraternidade se vivemos com medo do outro?”, um espírita aparece neste 18° episódio da série. Mais uma vez Carlos Vereza aparece na introdução, agora com a frase de Martin Luther King: “Uma das coisas importantes da não-violência é que não busca destruir a pessoa, mas transformá-la”.
 
Detalhes e comentários… após o Continue lendo.
 
 
 
 
 
 
Profilaxia, palavra usada pelo cabra aí do vídeo em certo momento, pra quem não sabe, significa: “Parte da medicina que tem por objeto medidas adequadas para prevenir ou evitar doenças”. Saiba mais no iDicionário Aulete.
 
Observe as afirmações religiosas proferidas pelo espírita: “(…) dever cumprido (…)” num dos trechos de sua segunda fala! Ele parece não saber que a paz nasce de dentro pra fora, e não de fora pra dentro, cultivada por regras e hábitos; ela é fruto do Espírito… pessoa da trindade que eu, pelo menos, não sei se eles entendem/aceitam.

Se eu puder…

Se eu puder ajudar alguém a seguir adiante, alegrar alguém com uma canção, mostrar o caminho certo, cumprir meu dever como cristão, que é divulgar a mensagem que Cristo deixou, então minha vida não terá sido em vão.
 
Martin Luther King
 
 
(Mais um post catalogando as frases que periodicamente ficam lá no espaço Pra pensar do blog)

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Qual é o sexo do seu cérebro?

Não sei até que ponto essas novas descobertas da ciência são coisas que devem ser levadas a sério, mas que esse negócio de sexo do cérebro é interessante e meio intrigante, isso é.
 
Tô falando de uma matéria que achei na revista Época. Clique aqui para ler. Não é compridona não! Ela chega a mencionar algumas ideias que permeiam o evoILUSIONISMO, mas também fala de coisas que creio fazerem sentido. O mais legal nessa reportagem é que lá no fim tem um QUIZ interativo que você responde pra saber se seu cérebro é masculino ou feminino. O meu deu masculino mesmo (com sete pontos)!!   :-D
 
 
[Imagem da tela do QUIZ]
QUIZ - Sexo do cérebro [revista Época] 
No final das contas, vai ver que talvez essa idéia de cérebro masculino ou feminino seja apenas um estereótipo que a ciência engoliu em razão do povo já achar – de forma preconceituosa? – que a mente desse ou daquele sexo é mais voltada pra isso ou aquilo. E você, o que acha?
 
 
 
Veja também:
Aniversário de Darwin [duas dicas de leitura de revistas]
Entrevista com Augusto Cury [falando sobre a mente de Cristo]
Ócio
Homem no café [teste]
Chega de pensamento positivo [não deixe de ler esse! baseado em estudos científicos!]
Jogo Irritante [joguinho on line que o desafia a usar os dois lados do cérebro]

Joyful ‘toon: Espantalho

Clique na imagem para vê-la em tamanho maior.
 
 Joyful 'toon 141_Scarecrow PT.BR
 
 
Comentário do autor:
Satanás tenta nos convencer de que nós não somos capazes de tomar parte nas bênçãos de Deus. Mas, em vez disso, devemos ouvir Jesus, o qual nos diz que Deus fica feliz em nos abençoar.
 
 
Publicado aqui sob a autorização de Mike Waters (Joyful 'toons).
 
Versão em português produzida pelo próprio autor com o auxílio de tradução do Mural na Net.

Crise de identidade

King Penguins at Volunteer Point, Falkland Islands [Ben Goode]
 
 
Falar de formação espiritual é falar de impactar e mudar o mundo, e não estabelecer métodos e programas eclesiásticos para o crescimento das igrejas.
 
Nós, seres humanos, passamos por muitas crises. Mas são as crises de identidade que nos fazem experimentar um dos mais delicados momentos da nossa vida. Qualquer pessoa saudável emocional e existencialmente passa por uma crise de identidade, na qual a maneira como nos percebemos e somos percebidos sofre profundas alterações. As forças comuns propiciadoras do equilíbrio são abaladas; o chão nos foge dos pés; uma certa angústia vinda de um sentimento de vazio se instala; as respostas, as certezas, são engolidas pelas dúvidas; um flerte com a frustração, a tristeza e a depressão se mistura a um namoro com a esperança, o odor de novos ares, a silhueta de novos horizontes.
 
Os chineses têm razão quando escrevem a palavra crise com dois ideogramas, um representando “perigo”, e outro, “oportunidade”. São exatamente estas as duas sementes contidas numa crise de identidade: o perigo de nos perdermos e cristalizarmos quem somos, repetindo automaticamente erros, ou a oportunidade de nos reinventar, superar limitações, corrigir rumos, sair da periferia e vir para o centro. Este segundo processo é capaz de equilibrar tudo em nós e nos religar à nossa vocação mais original.
 
Não só as pessoas, mas também os grupos humanos sofrem crises de identidade. Quando olhamos para trás, vemos na história da Igreja momentos quando ela entrou em crise de identidade. Somente para citar alguns exemplos, foi assim com o nascimento do monasticismo, no século 4; com a Reforma Protestante, em 1517; e com a eclosão do pentecostalismo, no início do século passado. Todos esses e outros movimentos marcados simultaneamente pelo perigo e pela oportunidade tinham algo em comum: eles clamaram por um retorno à identidade essencial da Igreja. Queriam respostas a questões cruciais, como qual a razão de ser da Igreja? O que essencialmente é sua identidade? Para que existe? Em busca dessas respostas, confesso, um dia já cheguei a me perguntar se Jesus realmente quis a Igreja! Qualquer leitura rasa dos evangelhos vai nos mostrar que o centro da pregação, da vida, da morte e da ressurreição de Jesus foi o Reino de Deus. Ele nos ensinou a orar dizendo “venha o teu Reino” e não “a tua Igreja”. Será que Jesus sonhou o Reino e o que veio foi a Igreja?
 
A verdade é que Jesus também quis a Igreja. É claro que ele não idealizou prédios maravilhosos, líderes com habilidades gerenciais ou estruturas complexas consumidoras de recursos e energia na manutenção de programas que acontecem sem a necessidade de sua própria presença. Em seu projeto de Igreja, ele concebeu uma comunidade de discípulos que se reunia para adorá-lo e renovar as forças para viverem sua missão transformadora deste mundo. Esta é a conspiração divina iniciada por Jesus: discípulos cheios do Espírito Santo, imersos nas dores deste mundo, sendo instrumentos da concretização do Reino de Deus. Esta é a identidade original da igreja; é para isso que ela existe.
 
Mas o que aconteceu com este sonho? Uma autêntica busca de resposta a esta pergunta vai nos levar, como Igreja, a uma saudável crise de identidade. Muitas vezes, a resposta do que somos está no passado – daí a necessidade de fazer os retornos necessários. Porém, existimos no presente caminhando para o futuro, e precisamos fazer as atualizações necessárias. O caminho de retorno ao ideal perdido do Corpo de Cristo nos exige, em primeiro lugar, uma redefinição da Igreja como uma comunidade relacional e geradora de autênticos discípulos. A Igreja precisa ser um centro de formação espiritual que irradia a vida do Reino de Deus para o mundo. Por outro lado, é fundamental redefinir o que é o discipulado: um processo de formação espiritual que nos convida a ser uma encarnação histórica desse Reino. Falar de formação espiritual é falar de impactar e mudar o mundo, e não estabelecer métodos e programas eclesiásticos para o crescimento das igrejas.
 
Por último, o papel pastoral precisa ser necessariamente revisto. Na solução de sua crise de identidade, a Igreja deve superar essa dinâmica pedagógica passiva na qual se vai à igreja para ouvir, e não para ser desafiado a viver. Para que voltemos a ser Igreja, precisamos de pessoas comprometidas com Deus em se tornarem pais, mães, mentores espirituais e agentes de formação cristã, amando mais os indivíduos do que as multidões – embora estas sejam resultado abençoado do investimento em pessoas –, e que, consequentemente, recusem-se a ser meros animadores de auditório ou líderes gerenciais de grandes projetos.
 
Que uma santa crise de identidade venha sobre todos nós, fazendo-nos protagonistas de um retorno ao sonho original de Reino de Deus que transforme nossas igrejas em centros de formação espiritual.
 
Fonte: Pr. Eduardo Rosa Pedreira via dLIVEr blog (os grifos são nossos); foto de Ben Goode em 123 Royalty Free
 
 
 
Veja também:
Evangelismo com um toque a mais [entrevista com John Stott]
O que é a igreja? [vídeo]
Um choro pela frouxidão da igreja [texto de Martin Luther King]

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Futuro presidente da república em Alagoas(?)

Começa hoje e termina dia 29, aqui em Alagoas, uma reunião da Umadene (União dos Ministros das Asssembleias de Deus do Nordeste). E adivinha quem vai pintar por essas bandas pra participar da assembleia das Assembleias? Quem? Quem? Ela, Dilma Russef!!
 
Será que a convidaram por engano, hein? É! Porque a reunião é de ministros do evangelho… aí, como ela é ministra… resolveram chamar, né?! rs rs rs rs
 
A notícia eu vi aqui nessa página do portal ADAlagoas.com.br. Confiram!
 
É lamentável ver a igreja ceder seu púlpito para políticos discursarem e fazer campanha! tsc tsc tsc! Decepcionante mesmo!
 
Seria uma boa ideia pintar por lá pra ver as baboseiras que a Dilma certamente vai vomitar no púlpito logo depois de saudar os “irmãos” presentes com “A Paz do Senhor”, como fez em outra reunião da denominação da qual participou; entretanto, esse espaço de reuniões da Assembleia fica na periferia de Maceió, já, se não me engano, lá pras bandas da cidade vizinha, Rio Largo. Aí dá um piguiiiça! :-(   Mas, certamente, o que ela disser por lá vai ser notícia na imprensa. Aguardemos.

Formar-se pra poder casar OU casar e depois se formar?

 
Groom and bride outdoors in wedding day





X

 Business man sitting at desk thinking
 
 
Tava lendo a versão impressa da revista Cristianismo Hoje e achei uma entrevista muito boa com o Julio Severo. Muito intressante é o trecho reproduzido abaixo onde ele defende que a “felicidade/realização amorosa” do jovem cristão deveria vir antes das “idolatradas” metas educacionais.
 
Leia e participe da enquete!
 
 

Falta conscientização política e social aos pastores brasileiros?

Muitos pastores desconhecem os embates culturais e preferem não se envolver na política, por causa da corrupção presente até mesmo entre políticos evangélicos. A esquerda evangélica hoje detém quase que exclusivamente o monopólio da tal “conscientização política e social”. Daí, quando se fala em ação política ou social evangélica, a primeira imagem que vem à mente do público cristão é a imagem de igrejas e grupos religiosos atuando como se fossem meros braços assistencialistas do Estado socialista. Essa visão deformada é praticamente a única que os evangélicos do Brasil têm de “ação social”. Falta uma visão genuína de Reino de Deus para a atuação dos evangélicos na política brasileira.

O combate ao sexo pré-conjugal é uma de suas bandeiras, assim como da maioria das igrejas evangélicas. Como convencer o jovem cristão a manter a castidade num mundo que enfatiza o prazer e o descompromisso das relações?

O tipo de castidade que as igrejas evangélicas hoje defendem é impossível, pois requer dos jovens abstinência sexual, mas não propõem casamento quando seus impulsos exigem satisfação a todo custo. O adolescente evangélico vai à escola, onde recebe doutrinação estatal para fazer sexo de todas as formas possíveis; vê seus amigos namorando e fazendo sexo; o que ele acaba fazendo? Para piorar, as igrejas e as famílias dizem ao adolescente e ao jovem que reprima suas tentações e não pense em casamento até acabar os estudos. O resultado é que acontece hoje entre os jovens evangélicos exatamente o que está acontecendo entre os jovens não-cristãos: sexo promíscuo. Num tempo de suas vidas em que a prioridade de seus sentimentos está voltada ao sexo, as pressões principais sobre os jovens — vinda dos pais, dos amigos e das igrejas — colocam o casamento em último plano. Falta muita valorização do casamento e família para os jovens.

O senhor não acha mais sensato orientar os jovens a priorizar o preparo intelectual e profissional visando ao seu futuro?

A Bíblia nos instrui: é melhor casar do que abrasar-se. O jovem vive muitas vezes abrasado, pois está cercado de lascívia e prostituição. Por isso, quando o jovem não consegue mais se controlar, é fundamental não pressioná-lo a sacrificar possibilidades de casamento por causa de metas educacionais. De que adianta, do ponto de vista do Reino de Deus, um evangélico ter diploma universitário e um rastro de prostituição ao longo de sua caminhada? Ele terá grandes perdas espirituais e problemas pelo resto da vida, inclusive conjugais, pois sacrificou todos os seus valores em prol da educação. Portanto, se o jovem sente que é hora de casar, em vez de pressioná-lo ao contrário, as famílias evangélicas envolvidas deveriam apoiar e ajudar o moço e a moça a começarem sua vida juntos. Eles precisam se casar.

Não é arriscado apostar num casamento tão prematuro?

O que pude constatar em várias igrejas é que a maioria dos jovens que namoram já está fazendo sexo. Filhos de pastores estão engravidando moças fora do casamento. Filhas de pastores estão tendo bebês sem casar – isso quando não os matam através do aborto. Tudo é sacrificado: bebês, casamento, moral, espiritualidade, comunhão com Deus. Tudo – menos as idolatradas metas educacionais. O caminho certo é encaminhar rapidamente esses jovens ao casamento. Por isso, quando as famílias evangélicas sentem que o rapaz e a moça já estão num namoro, é recomendável ajudar num casamento sem demora. Aliás, o conceito de namoro é uma invenção moderna sem nenhum apoio na Bíblia. Na área sexual e em outras áreas importantes, o que deve haver é compromisso. Não quer casar? Não namore. Quer sexo? Case-se. A cultura do namoro leva menos ao casamento do que ao sexo promíscuo. Só os rapazes e moças que não estão namorando ou não tendo nenhum tipo de relacionamento abrasante é que podem prosseguir com suas metas educacionais. Os outros, para o seu próprio bem-estar físico, moral, espiritual, psicológico e conjugal, precisam se casar o mais cedo possível.

Você concorda com a opinião do Julio Severo? Então vote na enquete lá da barra lateral do blog!

Na entrevista completa o Julio Severo fala de homofobia, homossexualismo, da perseguição pela qual tem passado e ainda outras coisas. Clique aqui para acessar.

 
 
 
Veja também:
Casamento animado [vídeo/humor]
Bodas de prata… (do namoro!!!)
 
 
E abaixo está o gráfico com o resultado final da enquete ”casamento x formação profissional – o que deveria vir primeiro nos planos do jovem cristão?” onde 20 pessoas votaram. Apenas eu, JT, e mais outra pessoa achamos que o casamento bem que podia vir primeiro. Vixe! Talvez a enquete não tenha sido muito bem elaborada, sabemos, mas aí já acabou   :-(  ; não dá mais pra voltar atrás!! Quem sabe, porém, futuramente não a repetimos com algumas mudanças, hein? E não deixe de ler o comentário que a leitora Fah fez e que tá logo aí abaixo do post!
 
 
Gráfico da enquete do casamento x formação profissional

Lula diz que Jesus faria aliança com Judas

Essa notícia é meio velha – é do dia 22 passado, porque tudo nesse mundo acelerado de hoje fica ultrapassado logo logo. É sobre uma tal declaração de nosso presidente. Nos dias próximos, só ouvi de relance a notícia e os comentários a respeito, mas achei hoje um “resumo” da situação no Cristianismo Radical.
 
 
 
 
Veja também:

Sagrado (16º episódio): Cristãos católicos

Com o tema violência nas cidades, eia aqui o episódio 16 da série. Um padre expõe seu ponto de vista. Tony Ramos faz a introdução com a frase de Ghandi: “Não existe um caminho para a paz. A paz é o caminho”.



Confesso que eu, JT, não tenho reservado o devido tempo para refletir sobre as palavras que cada um profere nesses vídeos, mas hoje atentei pruma coisa: será que as respostas dos cristãos – ou, pelo menos, a do padre nesse episódio aqui – são embasadas no evangelho de Cristo mesmo? Será que não tão dando apenas repostas bonitas “socialmente/filosoficamente bonitas”?

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Mulheres e goteiras segundo a bíblia

EZG Toon_Lazy web
 
 
Publicado aqui sob a autorização do autor, Erin Gillespie (EZG Toons).
Agradecimentos a Martin Erwin (Christian Cartoons).
 
Tradução por Mural na Net [versículos extraídos da Bíblia NVI].

O que é a verdade?

A quem interessar possa, aqui vai uma dica de leitura de um dos textos da revista Filosofia número 39. Ele discute o conceito de “verdade” sob o olhar de Thomas Hobbes.
 
Abaixo seguem os primeiros parágrafos do texto pra você ler e ver se te desperta curiosidade em ler o resto. Com esta postagem inauguramos uma nova categoria aqui no blog, o tema Filosofia!
 
 
 
Juro que é verdade! [Luis Filipe - br.olhares.com] Espontaneamente, a maior parte das pessoas tende a entender a verdade como adequatio. Esse termo difícil significa, apenas, que haverá verdade quando houver adequação entre a coisa e o conhecimento que temos dela. Mas essa concepção é contestada desde o início da modernidade. Há várias críticas a ela, e aqui veremos a de um filósofo em especial: Thomas Hobbes.
 
Quando estudamos Filosofia, quase sempre se destaca um dos dois campos seguintes: a teoria do ser (ontologia, que pode incluir a metafísica ou estar perto dela) e a teoria do conhecimento. Os grandes temas vinculados à ação parecem ser - nos currículos universitários - menores. Assim, na disciplina de História da Filosofia se estuda o ser ou o conhecer. É nas disciplinas de Ética ou Filosofia Política que se discute o que é certo, errado, bom ou mau no agir - seja este agir coletivo (Política) ou da pessoa mais individualizada (ética).
 
Ora, a questão da verdade é impreterivelmente uma questão da relação entre o ser e o conhecer. A convicção espontânea de que "verdade é adequação" supõe que conheçamos o ser. Por outro lado, Hobbes deve sua fama à sua teoria da Política. Sua física foi exposta ao ridículo por séculos. Pudera, ele afirmava a quadratura do círculo (o que quer dizer simplesmente que "pi" é um número racional; ou seja, que a circunferência é comensurável com o diâmetro, assim como o quadrado com sua diagonal). Então, por que usá-lo para discutir a crise moderna da ideia de verdade como adequação? Vejamos.
 
 
"Os que buscam o justo caminho da verdade não devem ocupar-se com nenhum objeto a respeito do qual não possam ter uma certeza igual à das demonstrações da Aritmética e da Geometria"
DESCARTES
 
 
 
 
Veja também outros posts onde a filosofia é o assunto principal ou, pelo menos, é citada:

Bandido bom é bandido ungido, é?!

Relato chocante da Patrícia Telles reproduzido no blog do Hermes Hernandes. Leia e… [num sei nem que verbo usar!!]
 
 
 
medieval looking menacng man with dagger wearing black cloak with hood Estive estes dias em uma igreja em um dos morros do Rio de Janeiro envolvidos no caos do tiroteio nos últimos dias. Era um culto "comum" realizado nos dias de semana. Fui convidada por uma conhecida que é Missionária. Era uma sexta-feira comum, sem culto em minha igreja, não vi nada demais e fui. Pois bem... Qual não foi minha surpresa, quando em um momento do culto, que aliás estava uma bênção até aquele momento, entraram três jovens armados e sentaram no fundo do salão. Iniciou-se muitos "Glórias & Aleluias", não sei bem se por medo ou exaltação ao Senhor por aquelas vidas terem entrado em seu Templo.

No entanto, a questão ficou esclarecida quando alguns obreiros daquela congregação iniciaram uma oração no fundo do salão. Oravam por aqueles três jovens da Comunidade local. Oravam para que Deus os guardasse, os protegesse, que os livrasse do mal e os guardasse das balas perdidas. Estranho ouvir uma oração dessa, quando as balas perdidas saem dos fuzis de jovens como aqueles. Achei um absurdo! Minha vontade foi de levantar-me e sair imediatamente daquele lugar. No entanto, Deus me fez permanecer. Orando... Sozinha...

Enquanto o culto transcorria como se nada acontecesse lá nos fundos... Senti de Deus de olhar para trás. Fiquei mais horrorizada ainda, quando vi obreiros ungindo as armas daqueles jovens. Usando o Nome Santo de Jesus para abençoar aqueles que tirariam vidas de outras pessoas (não importa se bandidos ou policiais ou ainda inocentes, mas pessoas), seres humanos. Tudo acontecia como se fosse algo normal.
 
Foto de Serghei Starus em 123 Royalty Free
 
 
 
Veja também:
Cinema e Fé Cristã [dica de livro]

Sagrado (15º episódio): Muçulmanos

Com o tema “Por que a sociedade insiste em praticar a violência urbana?”, este é o episódio 15 da série. Um muçulmano expõe seu ponto de vista. Stenio Garcia faz a introdução com uma frase de Ghandi.


sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Um oceano de plástico

Como citamos no post Recuse, reduza, reutilize!, existe entre o litoral da Califórnia e o Havaí uma área enorme com cerca de 1000 km de extensão que ganhou um triste apelido: o Lixão do Pacífico. Levadas pela corrente marítima, toneladas e toneladas de sujeira, produzidas pelo homem, se acumulam num lugar que já foi um paraíso.

Veja nesta reportagem do Fantástico o tamanho do estrago que, segundo estimativas, ocupa uma área maior que a soma dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Goiás.


Church Mice: Preocupações

Clique sobre a imagem para ampliá-la.
 
 
Church Mice_3 seconds

Reverendo:
Tenho recebido reclamações de que meus sermões são muito longos. Então vou procurar fazer a mensagem de hoje curta…

Reverendo:
Deus bom… Diabo mau! Amém!

Reverendo:
3,2 segundos!

 

Igreja [batendo palmas]:

Podemos ir pro almoço agora?

 
 
Publicado aqui sob a autorização de Karl Zorowski (Church Mice).
Agradecimentos a Martin Erwin (Christian Cartoons).
 
Tradução (um tanto livre) por Mural na Net.

Sagrado (14º episódio): Religiões afro-brasileiras

Com o tema Tragédias naturais proporcionam uma reflexão sobre a vida e o lugar do outro, este é o episódio 14 da série – se não estamos enganados :-). Uma representante duma religião afro-brasileira expõe seu ponto de vista. Juliana Paes faz a introdução.


O escafandro e a borboleta

Uma dica de filme bacana, um motivacional apesar de não ser um filme cristão.
 
 
por Juliana Dacoregio
 
escafandro Impossível assistir a O escafandro e a borboleta (França/EUA, 2007) e não pensar em valorizar mais a própria vida. É o pensamento mais simplista possível, mas é também o mais sábio. Eu estava com um certo receio de assistir ao filme. Sabia do que se tratava e não queria sentir o peso da tragédia daquele homem. É uma história realmente pesada. E por mais que Jean Dominique Bauby – que, baseado em sua própria história, escreveu o livro homônimo que deu origem ao filme – conseguisse rir apesar de sua situação, o riso dele faz só faz aumentar o nosso desconforto, por ficar evidente que seu rosto permanece estático enquanto há emoções em seu interior.
 
Bauby se viu preso em seu próprio corpo em 1995, quando sofreu um derrame que o deixou totalmente paralisado e incapaz de falar. Apesar disso ele não teve sua audição e visão afetadas e suas faculdades mentais continuaram funcionando normalmente. A situação irremediável em que ele se encontrou é chamada de Síndrome de Locked-in, ou seja, Síndrome do Encarceramento (um cérebro lúcido encarcerado em um corpo inerte). Apenas o olho esquerdo de Bauby possibilitava algum tipo de comunicação com o mundo exterior, já que as pálpebras do olho direito foram costuradas devido a um ressecamento da córnea. E foi através deste olho esquerdo que ditou um livro de 139 páginas contando sua história e suas observações sobre o novo estilo de “vida” que teve de encarar.
 
O livro de Bauby foi transformado em roteiro pelo mesmo roteirista de O pianista, Ronald Harwood, e o filme foi dirigido por Julian Schnabel, que conseguiu passar perfeitamente a sensação de sufocamento e de encarceramento que Bauby descreveu em suas memórias. O diretor permite que o espectador se coloque no lugar de Bauby, interpretado por Mathieu Amalic, através de tomadas que mostram apenas aquilo que o personagem conseguia ver em seu limitado campo de visão. A primeira metade do filme se passa dessa forma, sem que possamos ver o rosto do personagem, vendo apenas o que ele é capaz de enxergar, além de flashes das lembranças de Bauby da época anterior ao derrame.
 
A primeira visão do rosto de Bauby só acontece quando ele mesmo vê seu reflexo nos vidros do corredor do hospital, que passa a ser sua casa. A visão é chocante tanto para o espectador quanto para o próprio Bauby, que ainda não havia tido a oportunidade de vislumbrar sua nova aparência física. A partir do momento em que o personagem vai aceitando sua condição, seu rosto e corpo começam a aparecer claramente, o que dá ao espectador a idéia completa da tragédia que se abateu sobre o personagem.
 
Mas mesmo com toda a deficiência que seu corpo apresenta, ele continua sentindo, pensando e amando como antes do derrame. Em sua mente, diz “não é justo” quando belas fisioterapeutas e fonoaudiólogas vêm tratá-lo. “Elas são umas beldades e estou nesse estado, não é justo”. Inclusive em determinado momento ele torce para que uma delas se incline mais para ter uma melhor visão do decote da moça. Bauby também continua amando sua namorada mesmo que ela se recuse a visitá-lo com a justificativa de que não agüentaria vê-lo naquele estado. Quem está sempre presente é a ex-esposa, interpretada por Emmanuelle Seigner, que demonstra tanto amor e dedicação a ele que chega a intermediar uma conversa ao telefone entre Bauby e a namorada, mesmo sendo ainda totalmente devotada e, possivelmente, apaixonada pelo ex-marido.
 
E são mesmo as mulheres que ajudam Bauby a encontrar algum sentido em sua vida de corpo doente em mente lúcida. A fisioterapeuta, a ex-esposa, a secretária designada para tomar os ditados do livro dele. Estas passam a ser o mundo de Bauby, que antes era tão cheio de vida e ativo e de repente se vê totalmente dependente dos cuidados de outros.
 
É um filme profundamente tocante e sufocante. É um filme que nos deixa com uma urgência de viver, logo que terminamos de assisti-lo. É uma lição de vida dada por um homem que só podia viver dentro de sua própria mente.
 
“Decidi parar de ter pena de mim mesmo. Além do meu olho, há duas coisas que não estão paralisadas: minha imaginação e minha memória”, disse Jean-Dominique Bauby.
 
O escafandro e a borboleta recebeu 4 indicações ao Oscar, nas categorias de Melhor Diretor, Melhor Fotografia, Melhor Edição e Melhor Roteiro Adaptado e ganhou 2 Globos de Ouro, nas categorias de Melhor Diretor e Melhor Filme Estrangeiro.
 
Fonte: Amálgama
 
 
 
Veja também (na categoria cinema):

Número de evangélicos não para de crescer

Interessante que ontem, ao publicar o link para a última parte da série de textos O crescimento da igreja evangélica e o genuíno despertamento espiritual, achei essa notícia no Gospel+ Notícias.
 
 
 
Número de evangélicos não para de crescer e em alguns anos podem mudar o Brasil
 
Uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgada no início de outubro, mostra uma evolução considerável em diferentes aspectos da vida dos brasileiros. Segundo o sociólogo Alexandre Brasil Fonseca, a participação evangélica mais efetiva neste processo pode ser notada na alteração de certas políticas públicas.
 
“É um segmento socialmente organizado, que argumenta e luta por suas opiniões. É inegável que isso traz benefícios sociais. Com isso, não é um fato desprezível a histórica participação evangélica em Conselhos de Direitos Civis, nos últimos anos”, revela o sociólogo.
 
Recentemente uma das maiores revistas do País publicou uma série de matérias em que fazia previsões para o Brasil em 2020. Em uma dessas publicações, a revista aborda o crescimento evangélico. “Estima-se que 50% da população brasileira poderá ser evangélica” daqui a 11 anos, segundo estatísticas do Sepal (Servindo aos Pastores e Líderes).
 
Ainda de acordo com a revista, “a influência evangélica em 2020 contribuirá para a diminuição no consumo do álcool, o aumento da escolaridade e a diminuição no número de lares desfeitos, já que a família é prioridade para os evangélicos”.
 

Recuse, reduza, reutilize!


1,5 milhão de sacolas plásticas são consumidas a cada hora no Brasil. Em apenas 24 horas consumimos 36 milhões de sacolas plásticas, no mundo são consumidas entre 500 bilhões e um trilhão de sacolas plásticas por ano. Agora pense e imagine quantos recursos naturais podem ser poupados se estes números forem reduzidos. Agora pense de novo, você já se perguntou para onde vai todo este plástico?

O plástico foi inventado em 1909 pelo Dr. Leo Baekeland, químico americano de origem belga e foi batizado de "baquelite". E seu potencial de decomposição é muito baixo, extima-se que em aterros sanitários e lixões leve cerca de 400 anos para se decompor e na natureza ele permaneça por até 800 anos. Isso implicar dizer que os primeiros plásticos inventados ainda estão em processo de decomposição.

Mas se todo esse plástico não desaparece para onde ele está indo? Uma resposta assustadora a essa pergunta pode ser encontrada no Oceano pacífico.

"Existe hoje uma enorme camada flutuante de plástico, que já é considerada a maior concentração de lixo do mundo, com cerca de 1000 km de extensão, vai da costa da Califórnia, atravessa o Havaí e chega a meio caminho do Japão e atinge uma profundidade de mais ou menos 10 metros . Estima-se que haja neste vortex de lixo cerca de 1000 milhões de toneladas de plásticos de todos os tipos.

Pedaços de redes, garrafas, tampas, bolas , bonecas, patos de borracha, tênis, isqueiros, sacolas plásticas, caiaques, malas e todo exemplar possível de ser feito com plástico. Segundo seus descobridores, a mancha de lixo, ou sopa plástica tem quase duas vezes o tamanho dos Estados Unidos.

O oceanógrafo Curtis Ebbesmeyer, que pesquisa esta mancha há 15 anos compara este vórtex a uma entidade viva, um grande animal se movimentando livremente pelo pacifico. E quando passa perto do continente, você tem praias cobertas de lixo plástico de ponta a ponta.

A bolha plástica atualmente está em duas grandes áreas ligadas por uma parte estreita. Referem-se a elas como bolha oriental e bolha ocidental.

Um marinheiro que navegou pela área no final dos anos 90 disse que ficou atordoado com a visão do oceano de lixo plástico a sua frente. ‘Como foi possível fazermos isso?’ – ‘Naveguei por mais de uma semana sobre todo esse lixo". (Fontes: The Independent, Greenpeace e Mindfully)

Isto é só uma ponta do Iceberg. Lixões e aterros se multiplicam, praias, rios são sufocados pelo nosso lixo. Até onde iremos? Será que já não é hora de pararmos? Que planeta deixaremos pra nossos filhos?

Você pode deixar de fazer parte do problema e se tornar parte da solução; basta dizer não às sacolas plásticas. Utilize sacolas retonáveis, evite copos descartáveis, prefira embalagens reutilizáveis ou biodegradáveis, recicle, reduza o seu consumo e passe esta mensagem a outros, torne-se um consumidor consciente. Participe você tambem recuse, reduza, reutilize, afinal " Saco é um saco" pra cidade, pro planeta, pro futuro e pra você.

Fontes: http://pt.wikipedia.org/, Planeta Sustentável - O futuro a gente faz agora

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Prevendo suas ações

A fortune teller gazes into her crystal ball photoAs ações humanas são realmente aleatórias e imprevisíveis? Não necessariamente, de acordo com um estudo feito sobre a comunicação por e-mail e cartas escritas. A pesquisa indicou que esses padrões de correspondência humana podem ser modelados na forma de sistemas matemáticos complexos.
 
Fatores como o ritmo circadiano, a repetição de tarefas e a mudança das necessidades ocorrida ao longo da vida fornecem informações suficientes para que se possa estimar padrões de envios de cartas ou e-mails.
 
Primeiros parágrafos da notícia da Revista Sociologia intitulada Prever o imprevisível. Coisa meio escatalógica, principlamente de você somar a isso o que se defende no livro Numerati. Seria isso usado por uma nova ordem mundial futura [ou atual?].
 
 
 
 
Saiba mais sobre o livro Numerati:
 
Foto de Ben Heys em 123 Royalty Free
 
 
 
Veja também:

Humanidade bipolar

Wolfganf Sperling Entrevista da Época do dia 11 de outubro último com o psquiatra alemão Wolfgang Sperling. O mesmo defende que as atuais recessão econômica e pandemia (gripe suína) são apenas sintomas de uma doença coletiva global. E ele culpa os meio de comunicação por isso!
 
 
TEXTO INTRODUTÓRIO DA ENTREVISTA:
 
O vírus da gripe suína surgiu num momento auspicioso – para o vírus, é claro. O agente causador da pandemia iniciou seu assalto à humanidade em abril, no México. Seis meses antes, a quebra do banco americano Lehman Brothers aprofundou a maior crise econômica em 80 anos. Se o mundo não estivesse em recessão, talvez o surto de gripe não tivesse virado pandemia, diz o psiquiatra alemão Wolfgang Sperling, na revista Medical Hypothesis. Sperling culpa os novos meios de comunicação. A rapidez com que a imprensa noticiou a falência do Lehman e o surto no México gerou ondas globais de pânico, só comparáveis à alegria gerada pelos primeiros sinais de retomada. Esse fenômeno faz a população oscilar entre a euforia e a depressão. “Se a humanidade fosse um paciente, ela seria bipolar.”
 
 
 
[Foto do psquiatra tirada da própria página da entrevista.]

O crescimento da igreja evangélica e o genuíno despertamento espiritual (5)

 
 
Richard Wong [CreativeMYK.com]
 

5. A busca de chaves mágicas e modelos milagrosos

As igrejas oferecem vários programas, encontros, retiros, oficinas, conferências, mas parece que pouco muda profundamente, a longo prazo. Acumulam-se os cursos de cura interior, fóruns sobre espiritualidade, congressos sobre batalha espiritual, conferências missionárias e concertos de oração. A mentalidade do marketing predomina, a ilusão de que o mero uso de técnicas e programas irá resultar em sucesso e crescimento.

Não faltam às igrejas brasileiras oportunidades para a clonagem de programas. Ao alcance de um simples telefonema ou link da internet estão centenas de modelos importados que descrevam como fazer bem como diversas ferramentas ministeriais, verdadeiros pacotes e kits para reprodução. Muitos importam modelos eclesiásticos de igrejas americanas e outras mega-igrejas do hemisfério norte bem como utilizam verdadeiras cópias latinas, tais como o G12, de Bogotá ou Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte.

O homem moderno acredita que pode manipular o ambiente ao seu redor e chegar aos resultados desejados se tão-somente utilizar técnicas e ferramentas ministeriais de forma correta. Ele pensa que, se utilizar os instrumentos certos, misturados a uma boa dose de esforço e dedicação, a receita irá funcionar. Se tão somente utilizar o método correto, tudo vai acontecer direitinho conforme a sua visão. Aliás, as técnicas certas, quando aplicadas com eficácia e eficiência, farão com que a igreja cresça. Ouçamos as palavras de Eugene Petterson…

 
 
Clique aqui para ler o restante deste texto no Irmãos.com
Foto de Richard Wong em CreativeMYK
 
 
 
Veja também:

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Condição para receber a herança

A condição para herdar todas as promessas de Deus é que toda a esperança de felicidade que você tem, para você, sua família, seu trabalho e seu lazer, seja transferida para Ele.
 
John Piper

Third Day - I Don't Know

Enquanto escutava Third Day recentemente, esbarrei na bela I Don't Know do album Come Together e não parei mais de ouvir. I Don't Know é uma bela oração e tem sido a minha oração nestes dias, pois como diz a letra da canção eu simplesmente não sei o que dizer.

Não encontro palavras para me desculpar
Não sei como admitir que estava errado
Perdi tudo que me deste
Agora não tenho nada, nem ninguém
E creio que seja minha culpa
Sou o único culpado
Pelas lágrimas e pela dor

Não sei o que dizer
Ou se vai adiantar algo
Pois não sei como ainda podes me perdoar
Por tudo que Te tenho feito passar
Há algo que possa fazer
Daria minha vida pela Tua misericórdia

Minha vida guiou-me para esta decisão
De voltar e Te pedir mais uma coisa
Se eu tivesse uma chance ou um milhão delas
Será que seria o suficiente
Para em explicar agora que sei
Que estava errado
Me aceitarás de volta

Não sei o que dizer
Ou se vai adiantar algo
Pois não sei como ainda podes me perdoar
Por tudo que Te tenho feito passar
Há algo que possa fazer
Daria minha vida pela Tua misericórdia
Quanto tempo mais até que me perdoe
Eu não sei

E creio que seja minha culpa
Sou o único culpado
Pelas lágrimas e pela dor

Não sei o que dizer
Ou se vai adiantar algo
Pois não sei como ainda podes me perdoar
Por tudo que Te tenho feito passar
Há algo que possa fazer
Daria minha vida pela Tua misericórdia
Não sei o que dizer
Ou se vai adiantar algo
Pois não sei como ainda podes me perdoar
Por tudo que Te tenho feito passar
Há algo que possa fazer
Daria minha vida pela Tua misericórdia
Quanto tempo mais até que me perdoe
Eu não sei

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Sagrado (11 e 12º episódios): Cristãos protestantes e espíritas

Com os temas A solidariedade e ética diante de vítimas de catástrofes naturais e A busca pela razão das tragédias naturais estes são os episódios 11 e 12 da série. No 11º é um pastor batista que está com a palavra enquanto que no 12º é um líder espírita. Oscar Magrini e Carlos Vereza fazem as introduções.
 
11º episódio – cristãos protestantes
 
 
 
 
12º episódio – espíritias
 
 
 

Pondo em prática

Clique na imagem para ampliá-la.
 
 
As aventuras da ASBO de Jesus (practice 1)
 
 

O poder da validação

lets shake our hands. If you ready. we'll do it for you. Lets do it together. (cuted banner style, focus on hand) “Validação permite que pessoas sejam aceitas pelo que realmente são, e não pelo que gostaríamos que fossem” Todo mundo é inseguro, sem exceção. Os superconfiantes simplesmente disfarçam melhor. Não escapam pais, professores, chefes nem colegas de trabalho. Afinal, ninguém é de ferro. Paulo Autran treme nas bases nos primeiros minutos de cada apresentação, mesmo que a peça já tenha sido encenada 500 vezes. Só depois da primeira risada, da primeira reação do público, é que o ator relaxa e parte tranqüilo para o resto do espetáculo. Eu, para ser absolutamente sincero, fico inseguro a cada artigo que escrevo e corro desesperado para ver os primeiros e-mails que chegam. Insegurança é o problema humano número 1.
 
O mundo seria muito menos neurótico, louco e agitado se fôssemos todos um pouco menos inseguros. Trabalharíamos menos, curtiríamos mais a vida, levaríamos a vida mais na esportiva. Mas como reduzir essa insegurança? Alguns acreditam que estudando mais, ganhando mais, trabalhando mais resolveriam o problema. Ledo engano, por uma simples razão: segurança não depende da gente, depende dos outros. Está totalmente fora de nosso controle. Por isso segurança nunca é conquistada definitivamente, ela é sempre temporária, efêmera.
 
Segurança depende de um processo que chamo de “validação”, embora para os estatísticos o significado seja outro. Validação estatística significa certificar-se de que um dado ou informação é verdadeiro, mas eu uso esse termo para seres humanos. Validar alguém seria confirmar que essa pessoa existe, que ela é real, verdadeira, que ela tem valor. Todos nós precisamos ser validados pelos outros, constantemente. Alguém tem de dizer que você é bonito ou bonita, por mais bonito ou bonita que você seja.
 
O autoconhecimento, tão decantado por filósofos, não resolve o problema. Ninguém pode autovalidar-se, por definição. Você sempre será um ninguém, a não ser que outros o validem como alguém. Validar o outro significa confirmá-lo, como dizer: “Você tem significado para mim”. Validar é o que um namorado ou namorada faz quando lhe diz: “Gosto de você pelo que você é”. Quem cunhou a frase “Por trás de um grande homem existe uma grande mulher” (e vice-versa) provavelmente estava pensando nesse poder de validação que só uma companheira amorosa e presente no dia-a-dia poderá dar. Um simples olhar, um sorriso, um singelo elogio são suficientes para você validar todo mundo.
 
Estamos tão preocupados com a própria insegurança que não temos tempo para sair validando os outros. Estamos tão preocupados em mostrar que somos o “máximo” que esquecemos de dizer a nossos amigos, filhos e cônjuges que o “máximo” são eles. Puxamos o saco de quem não gostamos, esquecemos de validar aqueles que admiramos. Por falta de validação, criamos um mundo consumista, onde se valoriza o ter e não o ser. Por falta de validação, criamos um mundo onde todos querem mostrar-se ou dominar os outros em busca de poder. Validação permite que pessoas sejam aceitas pelo que realmente são, e não pelo que gostaríamos que fossem. Mas, justamente graças à validação, elas começarão a acreditar em si mesmas e crescerão para ser o que queremos. Se quisermos tornar o mundo menos inseguro e melhor, precisaremos treinar e exercitar uma nova competência: validar alguém todo dia.
 
Um elogio certo, um sorriso, os parabéns na hora certa, uma salva de palmas, um beijo, um dedão para cima, um “valeu, cara, valeu”. Você já validou alguém hoje? Então comece já, por mais inseguro que você esteja.
 
Stephen Kanitz (administrador) em seu site www.kanitz.com.br via O que é que tem no sótão?; magem de 123 Royalty Free
Related Posts with Thumbnails