sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Recuse, reduza, reutilize!


1,5 milhão de sacolas plásticas são consumidas a cada hora no Brasil. Em apenas 24 horas consumimos 36 milhões de sacolas plásticas, no mundo são consumidas entre 500 bilhões e um trilhão de sacolas plásticas por ano. Agora pense e imagine quantos recursos naturais podem ser poupados se estes números forem reduzidos. Agora pense de novo, você já se perguntou para onde vai todo este plástico?

O plástico foi inventado em 1909 pelo Dr. Leo Baekeland, químico americano de origem belga e foi batizado de "baquelite". E seu potencial de decomposição é muito baixo, extima-se que em aterros sanitários e lixões leve cerca de 400 anos para se decompor e na natureza ele permaneça por até 800 anos. Isso implicar dizer que os primeiros plásticos inventados ainda estão em processo de decomposição.

Mas se todo esse plástico não desaparece para onde ele está indo? Uma resposta assustadora a essa pergunta pode ser encontrada no Oceano pacífico.

"Existe hoje uma enorme camada flutuante de plástico, que já é considerada a maior concentração de lixo do mundo, com cerca de 1000 km de extensão, vai da costa da Califórnia, atravessa o Havaí e chega a meio caminho do Japão e atinge uma profundidade de mais ou menos 10 metros . Estima-se que haja neste vortex de lixo cerca de 1000 milhões de toneladas de plásticos de todos os tipos.

Pedaços de redes, garrafas, tampas, bolas , bonecas, patos de borracha, tênis, isqueiros, sacolas plásticas, caiaques, malas e todo exemplar possível de ser feito com plástico. Segundo seus descobridores, a mancha de lixo, ou sopa plástica tem quase duas vezes o tamanho dos Estados Unidos.

O oceanógrafo Curtis Ebbesmeyer, que pesquisa esta mancha há 15 anos compara este vórtex a uma entidade viva, um grande animal se movimentando livremente pelo pacifico. E quando passa perto do continente, você tem praias cobertas de lixo plástico de ponta a ponta.

A bolha plástica atualmente está em duas grandes áreas ligadas por uma parte estreita. Referem-se a elas como bolha oriental e bolha ocidental.

Um marinheiro que navegou pela área no final dos anos 90 disse que ficou atordoado com a visão do oceano de lixo plástico a sua frente. ‘Como foi possível fazermos isso?’ – ‘Naveguei por mais de uma semana sobre todo esse lixo". (Fontes: The Independent, Greenpeace e Mindfully)

Isto é só uma ponta do Iceberg. Lixões e aterros se multiplicam, praias, rios são sufocados pelo nosso lixo. Até onde iremos? Será que já não é hora de pararmos? Que planeta deixaremos pra nossos filhos?

Você pode deixar de fazer parte do problema e se tornar parte da solução; basta dizer não às sacolas plásticas. Utilize sacolas retonáveis, evite copos descartáveis, prefira embalagens reutilizáveis ou biodegradáveis, recicle, reduza o seu consumo e passe esta mensagem a outros, torne-se um consumidor consciente. Participe você tambem recuse, reduza, reutilize, afinal " Saco é um saco" pra cidade, pro planeta, pro futuro e pra você.

Fontes: http://pt.wikipedia.org/, Planeta Sustentável - O futuro a gente faz agora

1 comentários:

Sammis Reachers disse...

Assunto de interesse urgente - é preciso refrear o consumo deste item o quanto antes, mas as ações neste sentido apenas engatinham por aqui. No Brasil temos o agravante de muitos reutilizarem as sacolas como saco de lixo...

Reproduzi o artigo no Cidadania Evangélica, com o crédito.

Um abraço brother!

Related Posts with Thumbnails