quarta-feira, 10 de março de 2010

Sagrado (101º episódio): Muçulmanos

Terceiro episódio dentro do tema  Corrupção. Sami Armed Isbelle responde às perguntas:
1) Como as religiões encaram a corrupção quando ela se manifesta em suas instituições?
e
2)  Muitas pessoas, ao se verem em posições importantes, são capazes de se corromper, esquecendo suas origens e valores. Como explicar essa fraqueza até entre lideranças religiosas?
 
Stenio Garcia cita Christopher Marlowe: “A virtude é a fonte de onde jorra a honra”.
 
 
 

 

 

Percebemos que o islamismo – tomando como referência as palavras do Sami ao responder à segunda pergunta – parece ser centrado em salvação por obras, por seguir leis e regras. Note que o Sami fundamentou a razão para não se corromper ou ser corrompido no pensamento de que tal coisa será mal recompensada na vida após a morte. Por outro lado, o cristianismo oferece mais do que leis e regras para balizar nosso comportamento; ele oferece a ação transformadora do Espírito Santo na vida do homem, libertando-o do jugo do mal que o leva a pecar, isto é, a “errar o alvo”.

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails